Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Westworld S03E01 – Parce Domine | Review

Estamos num novo mundo, e Westworld não é mais a mesma série de suas duas primeiras temporadas. Que as teorias retornem, afinal a terceira temporada de Westworld chegou!

Já pudemos ver nos trailers da temporada que muita coisa mudaria com relação as duas temporadas anteriores, afinal o Westworld não existe mais (será?). Dolores e Bernard saíram rumo ao mundo real, e é ali num cenário futurista que toda a ação do primeiro episódio da temporada se passa.

O estilo do episódio em sua grande maioria é bem cyberpunk, carros futuristas, robôs que substituem o trabalho humano e muito mais. Westworld sempre nos mostrou isso, mas agora me parece que teremos essas situações mais refletidas no nosso cotidiano, envolvendo muito mais a problemática humano x máquina, agora de forma bem mais descontrolada a princípio, já que estamos fora dos parques.

Nenhuma ligação ficou clara entre a trama atual e a história dentro de Westworld. A única citação a isso ocorre quando Dolores mostra logo no início do episódio que está em busca de justiça. Como uma justiceira, ela invade a casa de um grande empresário que no passado visitou o parque e abusou dela. Vingança feita com louvor, e Dolores mostra que não está para brincadeiras nessa temporada, deixando de lado toda e qualquer inocência da origem da personagem, para uma assassina formada pelo seu passado conturbado.

É importante dizer também que o nome do episódio tem total relação com a atuação de Dolores nesse episódio, e que muito provavelmente veremos daqui pra frente. Parce Domine é o nome de um canto católico que diz:

Poupe-nos Senhor, poupe seu povo. Não fique com raiva de nós para sempre.

Desde que Dolores adquiriu a capacidade cognitiva completa sobre suas ações, ela busca liderar o levante dos anfitriões contra os humanos, usando a expressão que os anfitriões seriam algo como “novos deuses da humanidade”. Eis aí a referência ao canto. Dolores está com sangue nos olhos, e a raiva foi demonstrada em todo momento nesse episódio, prometendo ser apenas o começo.

Além de todo sentimento de justiça, Dolores tem uma motivação a mais nas suas ações. Vemos que a personagem está estruturando um plano muito maior de se infiltrar numa nova empresa de inteligência artificial, uma startup que tem como líder Serac, um misterioso personagem que ainda não conhecemos nada sobre.

Não tão distante das ações de Dolores conhecemos Caleb (Aaron Paul), que aparenta ser um trabalhador industrial que a cada dia busca se adaptar com a realidade em que vive. Sua mãe vive reclusa no hospital, e ele passa por um tratamento psicológico constante por conta de uma grande amizade que perdeu no passado.

Complementar a seu serviço legal, Caleb trabalha com um aplicativo que mapeia serviços ilegais a serem realizados na cidade, algo como quando um personagem de GTA tem de aceitar uma nova missão. No episódio vemos Caleb assaltando um caixa bancário e participando de entregas ilegais, mas aparentemente muitas outras coisas também estão na rotina do personagem, que usa dessas ações como uma renda extra na sua vida fracassada.

Pelo fim do episódio, podemos notar que muito provavelmente a parceria Caleb e Dolores será fortalecida, afinal Caleb se livra do tratamento psicológico e obrigatoriamente precisará de uma companhia para sobreviver, e Dolores se vê ferida e abandonada num beco aonde é resgatada por Caleb. Estou bem curioso para o que pode sair dessa dupla.

Outros núcleos também foram explorados, mas de forma bem mais rasa do que o de Dolores. Charlotte está atuando na função de CEO da DELOS, e tem de lidar com a grave crise que a empresa passa, 3 meses depois do caos e carnificina de Westworld. Não sabemos muito como essa transição aconteceu depois da saída dela no parque, afinal tenho que lembrar vocês que o corpo era de Charlotte mas a mente era de Dolores. Como isso aconteceu? Espero que seja esclarecido em breve.

Bernard também é mostrado, e agora está isolado do mundo com uma nova aparência e um novo nome: Armand Delgado. O pupilo de Ford está trabalhando com frigoríficos numa região que aparentemente se situa no Vietnã ou algo próximo dali. A mudança de nome e aparência se deve ao fato que o mundo agora tem ele como alvo número 1 pelo ocorrido em Westworld. Sabemos que a culpa não foi toda dele, mas a realidade atual é essa.

O final do episódio tem uma cena bem curiosa. Bernard paga uma generosa quantia a um barqueiro e pede que seja levado a Westworld, pois precisa encontrar um velho conhecido. Quem será essa pessoa?

O episódio foi tão grandioso que teve até pós-créditos! Vemos que Maeve está num mundo a parte de todos os outros, aonde o nazismo impera! O que será que veremos da grandiosa personagem, que ao que tudo leva a crer, será a grande inimiga de Dolores nessa temporada!

Confesso que fui positivamente surpreendido pelo tom do primeiro episódio, que apesar de tantas novidades, foi capaz de nos apresentar um novo cenário de forma muito bem trabalhada. Perguntas sempre existirão, o importante é saber construir a história. Que venha o terceiro ano de Westworld!

Show CommentsClose Comments

Leave a comment