Arquivos

Séries e TV

The Walking Dead | Crítica | 9ª Temporada- Finalmente uma boa temporada?

Com o morno episódio Storm, o S09E16, demos adeus a nona temporada de The Walking Dead, season que ficou marcada pelos adeus de Rick Grimes, Jesus, Tara, Enid, Henry e Maggie (talvez até logo?). Porém além das despedidas, outra coisa que precisa ser dita é que foi uma das melhores temporadas do show. Será que foi um último suspiro antes das morte ou recomeço, ou melhor, um novo começo pra nossa série?

Antes de tudo é preciso que dizer que o episódio deste domingo foi como uma pausa pra respiro depois das estacas. Não é costumeiro as season finales de TWD serem mornas, geralmente são pontos altos das temporada, sempre com eventos ou acontecimentos bombásticos. E, veja bem, não digo que o episódio foi ruim, mas como bom walker esperava um pouquinho mais .

Eu entendo que o evento das estacas foi devastador e divisor de águas e que precisamos entender quais as consequências e o cenário que resultou da chegada arrasadora de Alpha, mas o cliff ranger tão prometido pela produtora Angela Kang foi tão sutil que não merecia tal propaganda.

Por falar em Kang, se tem alguém que merece os méritos por esta temporada fantástica é ela. Depois de 2 temporadas fraquíssimas, com o arco da guerra mal feito, um vilão como Negan desperdiçado, confesso que esperava o pior. O fim parecia inevitável. Toda a fórmula parecia esgotada e pra cada episódio regular havia outros 3 horríveis. Aquele efeito onda da série estava negativo.

Pra piorar, antes da temporada começar, descobrimos que Rick e Maggie não estariam mais no elenco regular, iríamos nos despedir do protagonista e de uma das personagens principais, em referência ao arco dos quadrinhos. Não se via saída, a série não resistiria a saída dos poucos personagens ainda interessantes na trama.

Mas não é que a temporada começou e foi, aos poucos, estabelecendo um novo ritmo de narrativa, com roteiros orgânicos, pouco enrolação pra resolver arcos paralelos e quando se aproximava no quinto episódio, o último de Rick, ficamos apreensivos. Agora que está ficando bom, por que ele vai sair?

Incrivelmente, e digo incrivelmente mesmo, após a sua saída o ritmo melhorou ainda mais. A apresentação de Judith Bad Ass, a introdução do grupo de Magma trouxeram outra dinâmica de personagens e o encerramento da primeira metade nos presenteou com um episódio de terror espetacular, a despedida emocionante de Jesus, onde finalmente (meio tarde né?) tivemos o personagem bem dirigido em cenas de luta e, acertadamente, a apresentação dos Sussurradores.

O arco do Sussurradores era um dos mais esperados por nós, fãs de quadrinhos, e teve seu desenvolvimento na segunda metade da temporada. Fomos apresentados a Alpha, Beta e Lydia, entendemos como eles vivem e, principalmente, passamos a respeitar a personalidades deles. Alpha, sem sombra de dúvidas é a mais cruel adaptação de um vilão das HQS.

O desenvolvimento um pouco mais lento, mas ao mesmo tempo intenso, da segunda metade culminou na Feira. Um episódio tenso e cheio de sutilezas ao qual nos despedimos de 10 personagens, ok, só 3 eram importantes, mas alguns como Ozzy e DJ eram interessantes e promissores. Não vale aqui questionar a importância de cada um, mas sim o quão chocante foi a mortes deles.

A forma como Alpha se infiltrou e tomou o controle da situação mostrou a fragilidade que as comunidades tinham contra os sussurradores. O perigo era maior do que eles pensavam. A perda foi intensa e o choque de como estavam nas mão deles rachou o grupo.

Daryl e Lydia são culpados por alguns. O reino caiu, estava isolado com a fronteira criada por Alpha e devido a problemas estruturais não tinham mais como sobreviver. Carol não é mais a rainha. Já sabemos como ela reage quando mexem com as pessoas queridas, mas será que ela ainda tem o sangue nos olhos de antes?

O fato que essas tensões internas devem ser exploradas ainda mais na próxima temporada. As nova lideranças, como Luke, Alden, Magna e Yumiko também parecem que serão desenvolvidos de uma forma mais profunda. A relação de Negan com Alexandria, principalmente com Judith, que foi, no decorrer dessa temporada, apenas pincelada, deve ser fio condutor para vitória das comunidade sobre os Sussurradores, lógico, se seguirem as HQs.

Como disse no começo do texto, a temporada teve um upgrade maravilhoso, se comparada ao que vinha sendo exibido e acredito que a mão de Angela Kang, a princípio mais leve, foi gradativamente ficando mais pesada e, penso eu, será visível realmente na próxima temporada, a décima. Que não seja a melhora antes da morte, que seja uma guinada para que The Walking Dead volte a ser a grande série que sempre foi, mesmo que tenha perdido muita audiência, ainda é amada e sua legião de Walkers só querem boas histórias.

Quem estava no rádio? O rick voltará algum dia? Maggie dará sinal de vida? O que virá na próxima temporada, bem, isso é assunto pra outro texto. O que posso garantir que fiquei extremamente feliz com temporada equilibrada, que nos deu esperança e me deixou extremamente ansioso para próxima. Já é outubro?

Avaliação

Direção9
Roteiro8.5
Atuação10
Fotografia9
Montagem8.5
9

Resumo

Deixe uma Resposta

Neto Sambora
Nerd e Publicitário da cidade do sanduíche. Amo chocolate, hambúrguer, Coca-Cola zero (sim, sou estranho!) e tudo que o Mark Millar escrever. Não me julguem, mas conheci Star Wars com o Ameaça Fantasma e sou fã do Nicholas Cage!