Arquivos

Animes e MangasCultura Oriental

The Promised Neverland | O anime está tão diferente do mangá?

The Promised Neverland está dando o que falar! Quando foi confirmado o seu lançamento na versão anime, muitos fãs ficaram ansiosíssimos, principalmente por quem seria o estúdio e o diretor responsável pela sua estreia. CloverWorks e Mamoru Kanbe foram escolhidos respectivamente. E, esse estúdio teve trabalhos grandes como Darling in the Franxx e Fairy Tail, obras muitos boas em questão de qualidade visual (não vamos comentar sobre o final e direção desses animes em si, ok?). Em outras palavras, os fãs tinham mais motivos ainda para ficarem ansiosos pelo seu lançamento.

Em The Promised Neverland, somos apresentados a um orfanato onde as crianças são muito bem acolhidas e felizes lá dentro. Se consideram uma grande família, e eles tem uma Mãe, na qual cuida muito bem deles e dá todo o suporte necessário. Como em qualquer ambiente, existe regras, e uma delas é que elas são proibidas de saírem da área permitida do orfanato. Elas não tem contato algum com o mundo exterior. Sem contar, que toda criança que é adotada, não manda uma carta ou se comunica com eles. Enfim, dá para perceber que existe um grande mistério envolvendo esse orfanato, né?


O anime estava sendo exibido de forma simulcast pela Crunchyroll toda quinta-feira e foi finalizado no dia 28 de março, com 12 episódios. Como qualquer coisa que é exibida semanalmente, buscamos informações além por conta da ansiedade. Assistimos vídeos, comentários, reactions… e até mesmo, lemos direto na fonte: o mangá.

Como todo tipo de adaptação, é difícil ser melhor que a obra original. Mas com a grande qualidade que muitos estúdios buscam, as adaptações acabam sendo melhores em vários pontos. Será que podemos dizer o mesmo desse anime?

Os 12 episódios foram equivalentes a 37 capítulos do mangá. E nesse post, quero comparar as poucas diferenças com a versão do anime.

A partir daqui você está na zona de spoiler.

De começo, já aviso que sim, o mangá é superior ao anime. Para muitos que leram o mangá, ficarão desanimados com a adaptação por sentirem falta de algumas cenas específicas e “emoções” mais impactantes. Mas, no geral, a escolha da ordem de cenas foi o que mais me agradou! Principalmente no começo e o final do anime (ponto para o diretor!)

Tensão: muita ou pouca?

Uma das reclamações de muitos fãs foi a diferença de tensão que é passada nos traços do mangá para a animação. E de fato! Nos primeiros momentos dava para sentir muito mais medo, nervosismo e tensão no mangá. E ainda focavam na melhora e perspectiva individual de cada personagem, coisa que no anime não teve muito. Depois, percebemos que o rumo do anime se torna exatamente as características do mangá que citei, e o foco da temporada acabou sendo esse: passar muita tensão.

Começo e fim

O diretor soube aproveitar muito mais cenas de “lembranças” para colocar tanto no primeiro episódio quanto no último. Os flashbacks foram essenciais para animar o público e levar a vontade de assistir desde o primeiro episódio. Por exemplo, a cena dos três olhando o portão, é uma lembrança que passa um pouco depois no mangá. Achei genial ter sido a primeira cena do anime.

Flashbacks da Mãe e Ray

Os flashbacks da mãe são exatamente como no mangá. E particularmente, são as cenas que mais me animaram. Ver a história dela e o lado “humanizado” nos mostra que muitas das decisões tomadas a tornam uma pessoa comum como qualquer outra. Em compensação, muitas cenas do Ray foram cortadas. Ele lembra muito do período que estava na barriga de sua mãe… isso mesmo, quando ele era um feto (sei que isso parece um pouco irreal, mas de fato, pode acontecer na vida real). A música que ela cantarolava e também toda a interação dela com os monstros Ray se lembrava. Isso ficou evidente no mangá.

Gente, gostaria também de deixar claro o principal: para vocês que leram o mangá, eu entendo que há desânimos (e sempre existirá) com a versão animada. Mas Neverland se tornou o diferente, e mesmo que não seja 100% fiel (por causa de pouquíssimos detalhes) ela ainda se torna uma obra fantástica, e com o estúdio e uma direção que representaram super bem.

Eu, por exemplo, comecei a assistir o anime e por ser algo que era transmitido semanalmente, minha curiosidade foi além, e precisei adquirir o mangá para conhecer melhor. Se uma animação consegue passar isso ao telespectador, pode ter certeza que estava no caminho certo! Há dados que mostram o quanto a compra do mangá subiu após sua estreia.

Sem contar que sua segunda temporada está mais que confirmada para 2020! E terminou daquele jeito que deixa qualquer fã louco… com gostinho de quero mais!

Tem mais algum comparativo que te incomoda? Ah, e além disso, o que podemos esperar de Norman e Phil? O que aconteceu e o que acontecerá? Comenta aqui e bora discutir! 🙂

Deixe uma Resposta

Ynhaam Mazloum
Fisioterapeuta dermatofuncional. Atende por Ynha e é uma otaku fedida nas horas vagas. Tenho. mania. de. pontuação. E, de, vírgula, também! Apaixonada pela cultura asiática, música ao vivo e uma boa batatinha.