Arquivos

Games

Sega x Nintendo – A verdadeira guerra dos anos 90

Após a nossa guerra dos clones no Brasil, a Nintendo pensou que poderia dominar o mercado de jogos, assim como dominava nos Estados Unidos, Japão e em boa parte da Europa. O que ela não contava, era que o aliado da sua principal rival no país seria a chave para sua derrota, a Tectoy!

A Tectoy é uma empresa de games e eletrônicos que foi fundada em Setembro de 87 pelo engenheiro eletrônico Daniel Dazcal, um engenheiro eletrônico argentino, que trabalhava na Sharp em Manaus e resolveu abrir uma empresa de consultoria eletrônica. Pesquisando mercados em ascensão e necessitados das suas habilidades, o mesmo foi consultado pela Estrela, que era líder na área de brinquedos. Ao invés trabalhar com a Estrela ele teve a idéia de criar a sua própria empresa de brinquedos a Tectoy.

O primeiro brinquedo da Tectoy no Brasil foi a pistola de luz Zilion, licenciado pela Sega, o brinquedo foi um sucesso no país, principalmente porque a empresa adquiriu os direitos de exibição do anime no Brasil, distribuindo para a Rede Globo. Uma jogada de mestre, Marketing gratuito pro seu primeiro e mais novo brinquedo. Logo depois, a Tectoy emplacou outro sucesso no país, o Pense Bem, um brinquedo educacional que realizava perguntas e poderia ser atualizado com mais livros, gerando até edições especiais da Turma da Mônica e da TV Colosso.

Com a estruturação da empresa no mercado de brinquedos, chegou a hora de investir no mercado que mais crescia no mundo: o de videogames. Como a Sega já tinha uma parceria com a Tectoy por conta do sucesso de vendas da pistola Zilion, que vendeu muito mais aqui no Brasil do que no próprio Japão, a Tectoy conseguiu a licença para produzir o console aqui no país e distribuir de maneira oficial. Então em setembro de 1989, o Master System era lançado oficialmente no Brasil, tendo como concorrência os consoles clones da Nintendo, principalmente o Phantom System.

O Sucesso do console foi imediato! Contando com cerca de 280 mil unidades vendidas até o fim de 1990. A Tectoy faturou cerca de 66 milhões de dólares durante esse período. A Tectoy investiu pesado no seu público, trazendo os serviços de HotLine (Você ligava pra eles e pegava dicas dos jogos.), Criou o Master Clube, um clube pra sócios com brindes, e apresentava o programa Master Dicas, um programa de cerca de 1 minuto, trazendo dicas rápidas para os jogos do Master, que era apresentado durante o intervalo da sessão aventura da Rede Globo. Enquanto isso a Nintendo não tinha representação oficial no país, deixando a Sega abrir uma larga vantagem.

Uma outra vantagem que o Master System teria, era o lançamento de jogos Nacionais ou traduzidos em português pela própria Tectoy. Jogos como Mônica e o Castelo do Dragão, Chapolin x Drácula, Jogos de Verão (Califórnia Games), a franquia Phantasy Star e entre outros.
Não contente em dominar o mercado com o Master System, a Tectoy queria mais, e em Setembro de 1990 lançou o Mega Drive. O primeiro console 16bits lançado oficialmente no Brasil, a Tectoy baixou os preços do Master System no país e conseguiu manter as vendas do console em alta, mesmo com o lançamento do Mega.

A Nintendo só entraria no nosso mercado oficialmente em 1993, quando a Gradiente e a Estrela se juntaram e formaram a Playtronic, trazendo oficialmente o Nintendo Entertainment System para o Brasil, e em conjunto o seu console mais poderoso o Super Nintendo.

E aí começava a verdadeira guerra dos anos 90 no Brasil. Nos Estados Unidos e o no Japão o console da Nintendo dominava quase como um monopólio, a Sega tinha feito um certo sucesso na Europa, mas foi no Brasil que a mesma obteve todo o sucesso da Marca. A partir daí na escola a discussão era que Sonic era melhor que Mario e vice e versa!

As revistas de games começaram a surgir no país, e cada vez mais a galera se mostrava interessada e engajada com as suas marcas favoritas. Se você acha que a briga Xbox vs PlayStation é coisa dessa geração atual, você está extremamente enganado, a galera era ferrenha nas disputas e o marketing das empresas era realmente de disputa. A Sega se gabava de ter o console mais rápido, e com um som melhor, a Nintendo se gabava de ter mais cores e gráficos mais bonitos.

No Brasil, o mercado foi dominado pela Sega/Tectoy, e mesmo com o crescimento da Nintendo com o Super Nintendo, o seu atraso pra chegada oficial no país e o marketing agressivo da Tectoy decidiu a vitória pro primeiro embate de gigantes na história dos games no país.

Eu sempre tive os consoles da Nintendo e meu melhor amigo os da Sega, então a gente jogava tudo o que tinha direito. Pelo menos até o lançamento dos consoles 32bits, com a chegada do PlayStation, do Sega Saturno e do poderoso Nintendo 64, mas isso é história pra uma outra matéria…

Deixe uma Resposta

Bruno Sena
Campeão dos 100M rasos em séries da Netflix. Fã de quadrinhos, principalmente do Superman. Carioca, curte uma cerveja gelada no fim de semana, enquanto prepara seu plano de dominação mundial.