Arquivos

Séries e TV

Review | Crossover: Crise na Terra X

Crise na Terra X foi o crossover deste ano das séries Arrow, The Flash, Supergirl e Legends Of Tomorrow. Foi um crossover melhor do que o primeiro, com novas ideias somadas aos “fan services” e efeitos especiais, principalmente quando falamos de séries de TV que tem um orçamento limitado. Os episódios já foram exibidos tanto nos EUA pela CW e no Brasil pela Warner Channel, desta forma vamos falar sobre como foi este encontro dos multiversos.

A verdadeira alegria de qualquer cruzamento é ver nossos personagens favoritos de cada série interagindo com outros personagens que eles nunca encontram (ou desconhecidos). Antes de mais nada, vale lembrar que a CW aprendeu o que é de fato fazer um crossover nos 4 episódios, diferente do ano passado que “Invasão” apenas começou no final do episódio de Supergirl.

Apesar da alteração na ordem de exibição dos episódios, todos abordaram de forma igual a história. O enredo deste começa quando vemos a versão Terra-X do Guardião (Jimmy Olsen) sendo morto pelo Arqueiro Negro (o Fuhrer da Earth-X, sósia de Oliver Queen). Onde estão nossos heróis neste começo? Supergirl está lutando contra um Dominador (crossover do ano passado), Flash está enfrentando o Rei Tubarão, as Lendas estão em uma aventura de Robin-Hood e o Arqueiro Verde está lutando contra os ninjas.

A vantagem de assistir todas estas séries, é que você sabe o que está acontecendo em cada uma e o que pode acontecer, por exemplo quando falamos de multiverso, sabemos que Flash visita regularmente mundos paralelos, e a Terra onde vive Supergirl é um deles; em Arrow, Sereia Negra (a versão má de Laurel Lance) também vem de outra Terra.

Qual é o motivo que faz reunir todos? O casamento de Barry Allen e Iris Wes, mas sabemos que nada fica normal quando se fala de séries sobre super-heróis. Para atrapalhar o casamento, uma equipe de vilões nazistas da Terra X, onde Oliver Queen e Kara Zor-El são líderes tiranos e casados (isso mesmo) invadem o casamento, acompanhandos por um velho conhecido: Flash Reverso. O objetivo deles é conquistar a Terra-1 e roubar o coração da Supergirl, porque a Overgirl (Supergirl da Terra X) precisa de um novo.

Para os fãs de Arrow houve uma surpresa, o reaparecimento do Tommy Merlyn, isso fez com que tivéssemos a reunião entre Oliver e Tommy, o arqueiro verde tentando converter o sósia nazista de Tommy em um aliado. Continuando as surpresas, tivemos o conhecido Capitão Frio, mas não com o mesmo temperamento, mais amigável e engraçado assim podemos dizer.

Por mais que este crossover seja de séries de TV, as lutas e efeitos especiais foram bons, em todos os episódios. Até sobre isso vale dizer que o que Marvel consegue fazer com seus trabalharem em conjunto, a DC faz da mesma forma em suas séries, apesar das diferenças de orçamento obvias.

Da história teve muitos pontos bons, um deles foi quando a Overgirl vai para um andaime coberto por trabalhadores da construção civil para derrubar, a Supergirl voa e segura o andaime, nisso o Flash e Arrow estão um pouco mais acima, então Arrow usa sua arma de luta para amarrar a estrutura de volta, fechando o prédio rapidamente. Não chegou a lembrar vagamente Spider-Man: de volta ao lar?

A narrativa destes quatro episódios foi muito boa, ao invés de criarem uma história isolada, eles utilizam histórias pessoais dos personagens. Kara e Alex estão passando por momentos difíceis, mas no caso de Alex por exemplo, em uma noite ela aprende com Sarah a confiar em seu próprio julgamento e escolha sobre Maggie.

No caso de Legends, Jefferson e professor Martin Stein conversam há semanas sobre como se separarem para formar o nuclear, Firestorm. No crossover, é criada uma oportunidade para conseguir isso, com ajuda de Cisco, Harry e Caitlin. Vemos como Jax não quer desistir da vida do super-herói e Stein buscando aposentadoria com sua família, no final das contas eles admitiram o vínculo de pai e filho. Mas o que parecia tão bom, acaba com um final de personagem, Stein é baleado por nazistas para salvar Jax.

Ainda falando das vidas pessoais dos personagens, vale mencionar o casamento duplo surpresa no final, Barry e Iris amarrando Oliver e Felicity. Apesar do começo conturbado e rápido do casamento, os votos do quarteto proporcionaram outro bom momento do crossover.

Apesar do inimigo ser nazista, o crossover teve muito humor, seja o Mick tentando convencer a Nevasca de lutar, Stein tentando encorajar Jax a se tornar uma nova versão de Spider-Man, assim, como Diggle vomitando depois de correr com Barry e Alex absolutamente não conseguia disfarçar sua noite com Sarah.

Crise na Terra X foi um crossover que superou do ano passado, que levou em consideração os acontecimentos atuais das séries, usou integramente os quatro episódios, contou com bons efeitos especiais, participações de antigos personagens e soube dosar nas horas sérias e de humor. Esperamos que ano que seja tão bom ou melhor quanto este e talvez (acho) que seja acrescida a nova série do Raio Negro, que estreia em janeiro de 2018. E você? O que achou deste crossover?

Deixe uma Resposta

Roberto Nascimento
Beto, paulista, sempre em busca de bons shows, viagens, livros, cultura pop em geral (não necessariamente nesta ordem). Fã de Star Wars, DC, Marvel entre outras coisas mais. Amante do universo da fotografia, sempre registrando por onde passo.