Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Luigi’s Mansion 3 | Review

It’s me, Luigi! E o irmão do encanador mais famoso dos games está de volta ao protagonismo. Para coroar o Halloween de 2019, a Nintendo fez a alegria dos fãs e lançou Luigi’s Mansion 3. O jogo foi desenvolvido pela Next Level Games para a Nintendo e é uma pedida nostálgica para os fãs do personagem.

Os humilhados serão exaltados

Depois de muitos anos sendo apenas “o irmão do Mario”, sem ganhar o seu verdadeiro protagonismo dentro dos jogos, Luigi finalmente conseguiu um jogo para chamar de seu em 2001.

Lançado primeiramente para GameCube com o nome de “Luigi’s Mansion”, o jogo trouxe uma experiência bastante diferenciada para os amantes dos irmãos encanadores. Nesse game, uma mansão assombrada por fantasmas é estudada pelo Professor A. Luado.

Assim, nosso homenzinho verde entra em cena para combater os fantasmas (e o Bu!) com uma arma de sucção que faz uma esplêndida referência aos Caça-Fantasmas.

E se não fosse suficiente um jogo, Luigi ganhou uma nova aventura, agora no 3DS, em 2013: “Luigi’s Mansion: Dark Moon”. Esse jogo segue a mesma premissa do primeiro, com algumas alterações em sua história principal.

Para coroar seu reinado como o melhor dos irmãos (já deu para perceber que eu prefiro o Luigi, né?), a Nintendo lançou Luigi’s Mansion 3!

De volta à mansão fantasma

E sim, este novo game segue uma linha muito parecida à dos dois primeiros, contudo, dá um desfecho muito curioso para a saga. Em Luigi’s Mansion 3, Mario, Luigi, Princesa Peach e os Toads são convidados para passarem férias em um hotel de luxo.

Só que tudo não passa de uma armadilha do Rei Bu para finalmente capturar a turminha. Cansado de ser derrotado por Luigi e os outros, Bu pretende prendê-los todos em um quadro.

Em uma tacada de sorte, Luigi consegue escapar. Agora, seu objetivo é salvar seu irmão e seus amigos do terrível Rei Bu, lutando contra os fantasmas do hotel. Nesse game, temos de volta a presença do Professor A. Luado, que ajuda Luigi em sua aventura, além do seu sugador de fantasmas.

Ao longo do enredo, Luigi tem que derrotar diversos fantasmas nos diferentes andares do hotel para conseguir progredir e buscar seus amigos.

Uma diversão em conjunto

E se tem uma coisa que a Nintendo sabe fazer bem é uma diversão para qualquer idade. Luigi’s Mansion 3 é um jogo que consegue divertir desde os mais velhos amantes da franquia até os mais jovens.

Com uma jogabilidade leve e progressiva, Luigi’s Mansion 3 te prende na história e te faz querer continuar até acabar. A história é bem construída e divertida, afinal, cada andar é temático. Por exemplo: um andar tem o tema de academia e o outro de cinema. E em cada nível devemos derrotar um chefão característico.

Vale lembrar que não é necessário conhecer a história dos outros dois jogos, pois mesmo sendo uma continuação, o enredo de Luigi’s Mansion 3 também é bastante completo e fechado.

Uma das coisas que vale a pena em Luigi’s Mansion 3 é o modo de jogo em co-op. Afinal, uma das propostas da Nintendo sempre foi construir jogos em que várias pessoas pudessem se divertir, seja uma família ou um grupo de amigos.

Logo, não é necessário fazer toda a campanha sozinha. Duas pessoas podem jogar, uma como Luigi e outra como Guigi, a versão slime do protagonista, que é adicionado na história para ajudar na resolução de puzzles.

Ah! E jogar em conjunto faz com que a resolução dos puzzles do game se tornem mais fáceis. Afinal, duas cabeças pensam melhor do que uma, certo?

Ao longo do meu jogo, experimentei tanto a campanha sozinha quanto em co-op e recomendo fortemente que você tenha essa experiência em conjunto. Deixa tudo mais legal!

Uma boa dose de nostalgia

É notável dizer a evolução dos gráficos de Luigi’s Mansion 3 frente aos dois últimos games. Claro que ser criado para um console mais potente ajuda muito, mas é perceptível o cuidado com os detalhes no jogo, desde o design dos personagens até a construção dos cenários.

Mas em meio a tanto tecnologia e evolução, o game não deixa de trabalhar a boa e velha nostalgia dos games da Nintendo. A história é montada para trazer elementos dos outros dois games da franquia e até brincam com a história da criadora do Switch.

Dá para acreditar que a Nintendo tira sarro do Virtual Boy nesse game? Pois é verdade, e deixa tudo com um ar mais legal e curioso.

A Nintendo ainda disponibilizou uma DLC para o game, onde os jogadores podem curtir um multiplayer online de Luigi’s Mansion 3. Mas claro, que como a boa e velha mercenária que a Nintendo é, é pago. Mas já aviso que ela não faz falta para quem não tiver grana para investir na DLC.

Eu quero mais!

Depois de sugar diversos fantasmas e desvendar mistérios, o jogo deixa aquele gostinho de quero mais. E mesmo com a história “supostamente” acabada, o sentimento é que a Nintendo poderia (e deveria) continuar investindo neste personagem que tem tanto a agregar e divertir os amantes da franquia.

E eu não poderia não terminar dizendo: “Luigi time!”.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment