Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Locke & Key (Netflix) | Um novo mundo mágico

Inspirada na HQ de mesmo nome de 2017, Locke & Key chega a Netflix como mais uma adaptação que promete marcar terreno no serviço de streaming.

A série conta a história da família Locke após a morte do pai pelas mãos de um ex-aluno seu. O caso choca a cidade que acaba vendo com outros olhos a família, dificultando a adaptação dos filhos na escola e outras rotinas pela cidade. Após o ocorrido, a família se muda para a Key House, lendária casa herdada da família Locke.

Dentre todos os moradores da cidade, corre o burburinho dos mistérios que aquela casa escondia, e aos poucos com o desenvolvimento da série, conhecemos do passado daquele lugar e porque há tanto temor por parte dos visitantes e curiosos da região.

Bode (Jackson Robert Scott) é o filho mais novo da família, e como qualquer criança de sua idade é o mais curioso de todos, explorando a casa até encontrar um velho poço que esconde um dos mistérios que a casa possui. Enquanto isso, Kinsey (Emilia Jones) e Tyler (Connor Jessup) lidam com o desafio de se adaptar a rotina do colégio após o assassinato de seu pai. A mãe Nina (Darby Stanchfield) luta para não ter uma recaída por conta da bebida, tendo que sustentar sozinha toda a família.

Por tudo que contei até agora você deve achar que Locke & Key é mais uma série sobre um drama familiar, certo? Bem, em partes é isso. Mas há outros fatores que surgem, mudando totalmente o tom da série: o sobrenatural. A casa tem misteriosas chaves escondidas e cada uma delas tem um poder mágico. Da cabeça, do esqueleto, da música e muitas outras. Cada uma com seu poder específico, trazem para a série um ar de fantasia e mistério, despertando a nossa curiosidade.

A primeira temporada da série possui 10 episódios com média de 45 minutos cada, e de forma louvável não perde o ritmo do início ao fim, conseguindo introduzir a família Locke, o passado da casa e do pai falecido, assim como de outros personagens que aparecem no decorrer da trama. O mistério por volta das chaves e qual a principal motivação por trás delas, é o que nos motiva a continuar conhecendo a história.

Joe Hill, autor da HQ, é filho de Stephen King e participou também da produção da série junto com Carlton Cuse (Lost, Bates Motel). Por se passar na atualidade, muitas referências são utilizadas e inclusive citadas na série. Crônicas de Nárnia, Harry Potter e Senhor dos Anéis são algumas das obras dignamente referenciadas. Com relação a estrutura e trama, posso dizer que de forma sutil, é uma mistura de A Maldição da Residência Hill com Stranger Things.

O roteiro apesar de interessante tem certos momento que eu me perguntei porque aquilo estava sendo feito. Determinadas ações estúpidas partindo de personagens e coisas óbvias que poderiam ser feitas para evitar o mal maior, parece que só eram estruturadas daquela forma para aumentar o tom dramático que aquilo poderia levar. Ok, admito que sempre tem que ter algo assim para uma história perdurar, mas vamos com calma.

As atuações da série me agradaram muito, e eu não conhecia o trabalho de nenhum dos atores presentes na série, aonde destaco dois papéis. Jackson Robert Scott é fantástico como Bode Locke. O ator que já fez o garotinho Georgie em It, mostra que é muito mais do que uma criança inocente que perde o braço para a criatura Pennywise. Outro grande destaque vai para Laysla de Oliveira (Vai Brasil!). A atriz atua de forma impecável como a vilã de Locke & Key, conseguindo adaptar o papel com primor a medida que a cena exige.

Trilha sonora e fotografia são de aplaudir de pé. A trilha tem músicas que vão do tom misterioso ao teen, representando justamente qual o ritmo da série. Para se ter ideia, há uma cena que muito me marcou pela maestria que a trilha é trabalhada, aonde se tem um mix de Sound of Silence com Billie Eilish! Confira algumas músicas da trilha:

   

Sobre a fotografia, é muito bem trabalhada a mudança de cenário quando a ação acontece fora da Key House. Existe uma cena específica numa gruta, que ganha de muito filme de terror por aí. Efeitos especiais são muito presentes na série e me encantaram a todo momento que se fizeram presentes.

É inegável que Locke & Key terá uma nova temporada, e espero até que logo para que possamos conhecer mais e mais sobre a Key House e a família Locke, que mal conheço, mas já considero demais!

Roteiro
8
Fotografia
10
Trilha Sonora
10
Direção
8
Direção de Arte
10
Efeitos Especiais
10
Voto do Leitor(a)2 Votes
9.1
9.3
Show CommentsClose Comments

Leave a comment