Arquivos

Cultura OrientalDoramasSéries e TV

Kingdom | Uma mistura de Game of Thrones com The Walking Dead?

Olá queridos leitores do Dinastia! Hoje o meu post é dedicado para aqueles amantes de conteúdos com zumbis, ou para você, assim como eu, que não é tão chegado mas sempre faz uma forcinha para encontrar um trabalho que te agrada. Por isso, ficou curioso com a nova série coreana da Netflix, não é? Será que vale a pena ou é só mais aquele clichêzinho de sempre?

Quando falamos sobre trabalhos asiáticos, é normal muitos terem preconceitos ou até mesmo não gostarem de seu conteúdo. Mesmo eu, uma assídua (ou pelo menos tento ser, vida de adulta é complicada 🙁 ) admito que comparado a trabalhos americanos, europeus e arrisco dizer, os nacionais, o conteúdo asiático deixa a desejar muito. Eles não tem o melhor estúdio, os melhores atores ou até mesmo os melhores roteiros. Bom, pelo menos é o que pensava e já mentalizava isso na minha cabeça antes de começar a assistir Kingdom. E ainda bem que eu estava errada.

A trama se passa na Dinastia Joseon, lá no século 15, onde a nação passa uma grande escassez de recursos. O pouco que tem, é encaminhado diretamente para os nobres, enquanto os plebeus não tem nem o que comer. Não há saneamento básico, e as pessoas tem que se virar como podem.

Nessa nação precária, é que acompanhamos o príncipe Lee Chang, um filho bastardo do rei à beira da morte com uma doença misteriosa. Chang, precisa lidar com os planos e artimanhas dos nobres e da rainha atual, que desejam tirar o direito dele ao trono, acusando-o até mesmo de traição. Para isso, ele procura entender melhor qual a doença de seu pai, viajando e procurando respostas. E além de ter que cuidar de um surto, acaba descobrindo uma verdade brutal que ameaça o reino.

Sabendo que a Netflix investiu alto, o resultado não poderia ser outro. Com apenas seis episódios, Kingdom é digna de ser maratonada. Mesmo sendo o estilo histórico, não há momentos parados ou cansativos. Há dúvidas que surgem no decorrer da história, e logo já são solucionados. O desenrolar dela é bem rápido, e o fim de cada episódio dá aquele gostinho de quero mais. É repleta de reviravoltas imprevisíveis, uma mistura de Game of Thrones com The Walking Dead. É até recomendável para os fãs para dar um conforto enquanto a última temporada não vem ao ar!

Preciso afirmar que a cinematografia de toda a série é MARAVILHOSA. O figurino e o cenário dá prazer de assistir de tão bem feito e lindo que ficou. Até mesmo os zumbis ficaram bem legais. Para aqueles que esperam um ultra gore, talvez não se satisfaçam o suficiente. O foco da série não é a matança, mesmo que em alguns pontos aconteça. E em relação a trilha sonora, pecou em alguns pontos, principalmente no quesito suspense. Mas esses pontos são besteiras comparado ao conjunto da obra.

A série termina sem um desfecho para história, mas com um desejo de uma segunda temporada, que inclusive já foi confirmada pela Netflix com previsão para esse ano ainda. Eu poderia comentar mais sobre esse trabalho, mas qualquer informação a mais já pode levar a qualquer spoiler, e quero que vocês tenham uma grata surpresa como eu tive.

O que você achou de Kingdom? Tem algum conteúdo de zumbis que você pode me indicar? 🙂

Avaliação

Roteiro10
Direção9.5
Atuação10
Fotografia10
Trilha Sonora8
Efeitos Especiais8.4
9.3

Resumo

Estranhos rumores sobre a doença do rei deixam todos aterrorizados. Agora, o príncipe herdeiro é a única esperança contra a misteriosa epidemia.

Deixe uma Resposta

Ynhaam Mazloum
Ynha e Shinoda. 23 anos, fisioterapeuta dermatofuncional. Tenho. mania. de. pontuação. E, de, vírgula, também! Apaixonada pela cultura asiática, música ao vivo e uma boa batatinha.