Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Isso que a gente chama de amor | Resenha

No dia 18 de fevereiro a editora Seguinte, selo jovem da Companhia das Letras, vai lançar o livro Isso que a gente chama de amor da autora Maurene Gooo (mesma autora de Um lugar só nosso).

Sim, é um romance adolescente e sim, é cheio de clichês.

Aí você deve estar se perguntando, se é um romance clichê sobre adolescentes, por que lê-lo? Bom, nesse livro, a personagem principal Desi Lee é melhor em tudo, sempre fica nas melhores posições em competições, ganha prêmios, medalhas e troféus. Ela é a garota perfeita! Exceto quando o assunto é GAROTOS. Toda vez que Desi interage com algum garoto por quem sete certa atração, uma humilhação de proporções épicas sempre acontece. Isso é tão frequente e vergonhoso que os melhores amigos de Desi, Fiona e Wes, criaram uma palavra para definir esses momentos “crail”, que é a junção das palavras “crush” e “fail”.

Um belo dia, Desi acaba chegando a conclusão de que os problemas que tem com garotos acontecem porque ela não tem uma sequencia de ações definidas para seguir. Assim ela acaba se atrapalhando e estraga tudo.

Enquanto se lamente pela sua última humilhação na frente de Luca, o garoto novo do colégio, Desi começa assistir K-dramas e percebe que os passos que precisa seguir para fazer dar certo um romance, estão bem ali na sua frente.

Após uma maratona de três k-dramas diferentes, Desi tem uma lista com todos os passos que precisa seguir para conquistar Luca. Os passos vão de “ser a personificação viva de tudo o que é bom e puro” a “ter sua vida colocada em risco para que ele ou você perceba que o mor dos dois é verdadeiro”, a lista contém vinte e quatro itens.

Wes e Fiona estão sempre disponíveis para ajudar Desi em suas maluquisses, eles são amigos a muito tempo e tem aquele tipo de amizade bonita de se ver. Wes é um garoto lindo, o pegador da escola que está sempre destruído os corações de garotas apaixonadas. Fiona é uma garota linda, a pegadora da escola que está sempre com uma namorada ou ficante diferente.

Além dos melhores amigos, Desi pode sempre contar com o pai, afinal tem sido só os dois desde que a mãe de Desi morreu, quando ela tinha sete anos. Appa (pai em coreano) é coreano, assim como a mãe de Desi era, eles foram para os Estados Unidos quando a mãe de Desi começou a estudar medicina em Stanford (universidade dos sonhos de Desi). O galã da história, Luca, acabou de chegar na cidade, a única coisa que Desi sabe sobre ele é que ele é lindo e super envolvido com artes.

Achei a história super engraçada, principalmente nas partes dos “crails” da Desi, cheguei a rir de verdade enquanto lia. Mas também teve uma ou duas partes em que meus olhos ficaram marejados.

Como a maioria no gênero, Isso que a gente chama de amor tem uma leitura super fácil e envolvente, eu não conseguia parar de ler. Porém me decepcionei um pouco com o fim, acredito que a autora deveria entregar uma mensagem diferente para os leitores, considerando o público alvo que vai consumir o conteúdo.

Gostei muito de todo o contato com a cultura coreana que o enredo proporcionou, a culinária oriental ganhou destaque na narrativa, ficando ofuscada apenas pelos k-dramas. Ao fim da história, há uma listinha guiada com os melhores k-dramas disponíveis para os novatos nesse universo.

Ficou com vontade de ler? O livro já está em pré venda!

Pontos Positivos
Engraçado
Cheio de cultura coreana
Pontos Negativos
Mensagem final ruim
7
Show CommentsClose Comments

Leave a comment