Arquivos

Dinastia Entrevista

Dinastia Entrevista | Amaury Filho

Olá Dinastia!
No post de hoje vamos, continuar trazendo, para nossos seguidores, uma conversa com ilustradores e quadrinistas que dão vida a personagens e histórias sensacionais.

Hoje vamos conhecer mais sobre o trabalho do Amaury Filho, ilustrador carioca e proprietário da Ziriguidum, um estúdio de ilustração e design, situado em Curitiba. O trabalho do Amaury já faz sucesso aqui no Dinastia e atualmente decora uma das paredes do nosso CEO, Raphael.

Antes de mais nada, por favor, conte um pouco sobre você, de onde veio, quando se descobriu ou decidiu que seria ilustrador? Como foi?

Carioca da gema, designer, ilustrador, cinéfilo e nerd desde que isso não era tão bacana assim. Descobri que queria desenhar desde moleque, devorava todos os quadrinhos na minha frente, desde super-heróis até HQs européias. Admirava grandes nomes como Arthur Adams, George Pérez, Geof Darrow e Moebius. Esses artistas possuem algo em comum: são muito detalhistas e isso influenciou muito meu traço. Jogava muito RPG e ficava fascinado com as artes que ilustravam os livros, cards e embalagens. E principalmente, o cinema sempre foi uma grande influência, logo, essa mistureba toda me levou ao que faço hoje.

Me formei em publicidade e passei por algumas agências no Rio, até chegar na Yeah! em Curitiba. Criei diversos projetos gráficos, campanhas publicitárias e materiais didáticos premiados, e pude desenvolver vários traços diferenciados. Atendendi clientes incríveis como Wise Up, Red Balloon, Philco e outros.

Atualmente sou proprietário da Ziriguidum, estúdio de ilustração e design, onde qual já atendi entre outros, o Festival de Teatro de Curitiba, Virá, Red House International School, Revista Omelete Box e Cerveja Poker (Colômbia).

Crio cartazes alternativos de filmes e séries de TV como minha expressão pessoal, levando para eventos Geek como CCXP e etc. Essas artes me renderam o 2º lugar no prêmio do Clube de Criação do Paraná de 2017 em Projetos Pessoais. Tenho um canal no YouTube onde dou dicas de alta performance para criativos iniciantes, entrevistas com profissionais e análises de referências aplicadas ao dia-a-dia .

Você fez algum curso/faculdade para se tornar ilustrador?

Aos 12 anos fiz durante uns 2 meses um curso de desenho, mas foi um espirro de aprendizado. Aprendi tudo que sei na marra, metendo as caras, estudando e praticando muito, a as vezes inventando algo no calor do job. Estudar e estar ligado em tendências é algo eterno na vida do criativo.

Quando e como você encontrou o seu estilo como artista?

Como sempre trabalhei em agências de publicidade, precisava inventar novos traços ou me inspirar em referências pra atender clientes diversos. Mas em 2016, iniciei um projeto com um cliente e acabei descobrindo um novo traço, com isso decidi aperfeiçoa-lo como minha expressão pessoal e comecei a criar pôster de filmes.

E como é o processo criativo?

Referências sempre são um norte, porém é preciso ter a sua pegada, a sua identidade. Pensando nisso, ainda no tempo de agência eu queria ter a minha própria identidade, algo que pudesse ser reconhecido rapidamente. Então, comecei um processo que tenho até hoje de recorte e montagem de imagens que me serve de base para a ilustração, ou então um rafe virtual ou no lápis que me guia até a finalização. Mas sempre tendo em mente algo muito importante, as cores. Creio que criar uma palheta de cores original pra arte, é algo que me dá muita satisfação.

Algum profissional – ilustrador(a), artista plástico, desenhista, designer, enfim… – serviu ou serve como inspiração?

São vários, então vou separar em 2 tópicos: No design, David Carson e Saul Bass. Na ilustração, o mestre Drew Struzan, Ken Taylor e Tstout.

Você tem um trabalho favorito? Se sim, qual é ele?

Meu pôster do Star Wars, O Império Contra-Ataca.

Na sua opinião, qual a maior dificuldade para quem trabalha com ilustração no Brasil?

Ganhar dinheiro de forma consistente sem precisar mendigar preço. Valorização de arte ainda é algo que engatinha no Brasil.

Já tem algum projeto encaminhado para 2019? Pode falar sobre ele?

Em 2018, realizei um sonho de moleque, lancei minha primeira HQ “Teatro do Pavor”, uma coletânea de contos de horror por vários artistas, pela Skript editora. E este estou preparando um novo lançamento, a HQ “Nas profundezas da Loucura”, inspirado nos contos de Cthulhu de H.P. Lovecraft, que mostra a sobrevivência de um personagem após o cataclisma da vinda do monstro.

Qual a visão de futuro para o seu trabalho?

Me fortalecer cada vez mais no mercado brasileiro e aos poucos me posicionar no mercado internacional. E principalmente lançar cursos online, pois tem uma galera querendo muito aprender e se posicionar no mercado.

Este espaço é seu, fale o que estiver no seu coração.

Sempre quero estar cercado de projetos. Criar é algo que faz parte da minha essência, não me vejo aposentado e sem criar algo. Isso é uma coisa que não só é parte de mim, mas é algo que creio que preciso sempre estar aprimorando, pois se paro, é como se parasse de ter um propósito. Obrigado de coração pela oportunidade e bora cavar!


O Dinastia agradece imensamente a participação do Amaury no nosso projeto. Você pode acompanhar seus trabalhos em sua conta no InstagramFacebook, YoutubePinterest, seu site oficial e comprá-los na sua loja.


Gostou do projeto e quer participar? Basta preencher nosso formulário: www.dinastiageek.com.br/ilustradores.

Deixe uma Resposta

Bia Lourenço
Bia Lourenço, paulistana, formada em Design Digital e Pós-Graduada em Eventos. Apaixonada por Harry Potter, Mulher-Maravilha, Batman, Sakura Cardcaptors, Turma da Mônica e Star Wars. Autora no blog www.biialou.com