Arquivos

E-SportsGames

Curiosidades sobre os jogos da Blizzard Entertainment que você provavelmente não sabia

Uma das desenvolvedoras de games mais bem-sucedidas da história, a Blizzard Entertainment começou sua jornada ainda em 1991 com o nome Silicon & Synapse com jogos para Super Nintendo, Game Boy Advance e outras plataformas. Em 1994, a empresa foi renomeada para a marca atual e começou a produzir jogos de muita relevância.

Lançamentos como Warcraft, Warcraft II, Diablo, StarCraft, Diablo II, Warcraft III, World of Warcraft, StarCraft II, Diablo III, Hearthstone, Heroes of the Storm e Overwatch já foram desenvolvidos pela empresa sediada na cidade de Irvine, no Estado da Califórnia. Com tantos grandes sucessos já lançados, a Blizzard tem muita história legal com várias curiosidades interessantes que merecem ser compartilhadas.

O sucesso começou com Warcraft, ainda em 1994

Warcraft: Orcs & Humans - Blizzard Entertainment

Antes de Warcraft: Orcs & Humans, a Blizzard era uma empresa que lutava para permanecer com as portas abertas. Isso mudou com o sucesso de crítica do jogo, que resultou em muita popularidade nas vendas e várias indicações a prêmios de respeito.

A primeira versão de Warcraft foi uma das mais importantes na popularização do gênero RTS (real-time strategy), mas para conseguir tirar o jogo do papel os desenvolvedores precisaram superar muitos desafios.

Durante a produção de Warcraft, o estúdio da companhia não tinha nenhuma LAN interna para compartilhar o desenvolvimento do jogo para os membros da equipe. Portanto, todos os avanços tinham que ser mostrados através de disquetes, que foram utilizados aos montes na época da criação do game.

Outra dificuldade foi o tempo curto que a empresa teve para produzir, com deadline de apenas um ano após a aprovação do projeto. Os desenvolvedores correram para que o jogo fosse lançado antes do natal de 1994, o que levou com que durante a produção várias funções secundárias sumirem do jogo.

Detalhes como pedras como recurso coletável, mais raças e até mesmo diferentes formações de soldados se perderam em meio a pressa que os desenvolvedores tiveram que lidar.

A paleta de cor extremamente vibrante não é uma coincidência. Como era normal em jogos para Super Nintendo em que o game precisava ser muito colorido para resultar em gráficos satisfatórios, os desenvolvedores de Warcraft seguiram nessa mesma linha.

Sucesso de Diablo foi tão grande de criou um modelo a ser seguido

Em 1996, a Blizzard, já visada por ter desenvolvido Warcraft, lançou Diablo. O game foi um grande sucesso e se tornou tão relevante que praticamente inaugurou o gênero rogue like, que é designado para games em que cada partida é totalmente diferente da outra — ou seja, que preza por geração de fases de forma aleatória.

Outra curiosidade envolvendo Diablo é o fato de que ele foi desenvolvido através de um game nada famoso. Em 1982, foi lançado Telengard, um jogo de RPG para computadores com gráficos muito limitados.

Apesar dos poucos recursos, Telengard tem vários conceitos que posteriormente foram utilizados em Diablo, como vencer desafios, destruir monstros e muito mais.

Além disso, vale citar que por pouco Diablo não contou com um estilo de batalhas em turnos, como games do gênero Final Fantasy. No entanto, os desenvolvedores se convenceram que era melhor seguir uma linha mais semelhante com a primeira versão de Warcraft.

StarCraft foi o maior lançamento de 1998

Starcraft - Blizzard Entertainment

A Blizzard mais uma vez revolucionou nos anos 1990 com o lançamento de StarCraft. O game foi marcante e bem recebido pelo público em geral, tanto que se tornou o jogo mais vendido daquele ano com mais de 1.5 milhões de cópias vendidas.

A crítica também ajudou bastante para a popularidade do game. As revistas AllGame, Game Revolution e GameSpot, por exemplo, deram todas pelo menos 90% de aprovação na nota do jogo.

O GameSpot, por exemplo, classifica StarCraft da seguinte maneira: “É o jogo que define esse gênero. É o padrão pelo qual todos os jogos de RTS devem ser julgados.”

Muito importante para a popularização dos esportes eletrônicos

Mundial de Starcraft 2 - Blizzard Entertainment

StarCraft veio como uma febre na Ásia. Em países como Coréia do Sul, por exemplo, o jogo logo se tornou bastante popular e foi o impulso necessário para a criação de várias equipes especializadas no game.

Além de todos os jogadores coreanos e de outros países da Ásia que passaram a jogar profissionalmente, StarCraft também se tornou uma carreira profissional para alguns jogadores europeus.

No início dos anos 2000, alguns jogadores do ocidente se mudaram para a Coréia do Sul a fim de se especializarem no jogo. Um deles foi Bertrand Grospellier, que hoje é um craque nas cartas como um dos melhores do mundo no poker, além de Guilhaume Patry e tantos outros.

Com todos esses fatos, não é absurdo dizer que StarCraft é um dos grandes percursores dos esportes eletrônicos e que o game ajudou bastante a popularizar o sentido de competição profissional entre os gamers.

Jogos e projetos cancelados

A Blizzard também é conhecida por vários de seus desenvolvidos que nunca viram a luz do dia. Um deles é Warcraft Adventures: Lord of the Clans, que foi cancelado em 1998. Um que criou muitas expectativas dos fãs foi StarCraft: Ghost, mas o game nunca foi lançado e colocado em espera infinita em 2006.

Em 2014, a Blizzard anunciou o cancelamento do projeto Titan, que foi desenvolvido durante sete anos, mas nunca chegou aos níveis satisfatórios da empresa.

Easter eggs aos montes em Diablo III

Assim como outras desenvolvedoras como Naughty Dog e Rockstar Games, a Blizzard também é conhecida por colocar vários easter eggs em seus games. Diablo III, lançado em 2012, conta com algumas brincadeiras bem interessantes.

Uma delas vem logo no início do jogo, em que há alguns cenários especiais. Um exemplo disso é o chamado “Inferno da Programação”, em que é possível enfrentar personagens que ganharam os mesmos nomes de profissionais das equipes de programação e de outras áreas de staff do game.

Outro easter egg está relacionado ao mundo de StarCraft. Na Caverna da Queda de Gelo no Ato 3, bem ao fundo do cenário, é possível avistar o elmo do Lich King, o que é uma grande referência à Warcraft.

Uma das falas mais famosas de Overwatch veio de um erro de gravação

Overwatch - Blizzard Entertainment

A personagem Mei é a autora da fase “Desculpa, desculpa, desculpa”, que se popularizou como uma das mais famosas de Overwatch. No entanto, poucos sabem que ela veio de forma totalmente acidental.

A atriz Zhang Yu, dubladora da personagem, cometeu um erro na hora de ler sobre uma das frases necessárias e pediu desculpas no estúdio. Michael Chu, designer do jogo, estava presente no momento do erro, e decidiu usar o áudio das desculpas da atriz para a versão final do game.

Mais easter eggs, dessa vez em Overwatch

É possível encontrar easter eggs em praticamente todos os games modernos da Blizzard e em Overwatch não é diferente. No Templo de Anubis, dá para ver o símbolo da Horda cravado nas paredes, assim como uma cabeça de Zerg — referências ao mundo de Warcraft e StarCraft, respectivamente.

Já em Eichenwalde, há uma bonfire de Dark Souls, que serve como checkpoint do jogo. Esses e outros easter eggs são encontrados se o game prestar boa atenção no cenário ao redor.

1 Comentário

Deixe uma Resposta

Bruno Sena
Campeão dos 100M rasos em séries da Netflix. Fã de quadrinhos, principalmente do Superman. Carioca, curte uma cerveja gelada no fim de semana, enquanto prepara seu plano de dominação mundial.