Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Crítica | PéPequeno

Em PéPequeno, animação da Warner, há uma inversão da história do pé grande. Ao invés de acompanharmos o humano que encontrou o ieti, acompanhamos a historia de Migo, um membro da sociedade ieti que num certo dia encontra o pé pequeno, que é um ser humano.

Toda a mitologia por trás do desenho é muito legal. Eles tem leis, regras, que estão escritas em pedrinhas que ficam acopladas em um manto de pedras. O líder da sociedade, é quem fica responsável por usar esse manto. E todas as regras que existem estão escritas nessas pedras e não podem ser duvidadas ou até mesmo debatidas.

Eles vivem em uma cidade muito primitiva e que não há senso crítico algum por parte da sociedade. Como por exemplo, eles acham que devem tocar um gongo para acordar o caramujo que brilha, que na verdade é o Sol. Umas das regras inclusive, é que não existe o pé pequeno, e quando o Migo se depara com um, ele se depara com uma regra que não está certa. Então a partir disso, vai criando uma bola de neve nessa historia toda.

Quando me referi ao filme como queridinho, no diminutivo mesmo, no começo do texto, quero dizer que o filme está longe de ser a melhor animação do ano, mas ele traz lições super válidas e preciosas.

Uma delas é não acredite em tudo o que te falam, não aceitar as coisas que te dizem, ser mais questionador. Isso faz total jus a época em que estamos vivendo. Em um mundo onde a notícia corre muito fácil e super rápido, pecamos em achar que tudo que está na internet é verdade. Outra lição, é enfrentar os problemas quando eles surgem. Escondê-los ou amenizar a situação, pode fazer com que tudo fique pior. E por último (nossa, quanta lição!) em relação a ofender pessoas que pensam diferente de você, fazer bullying com quem pensa além.

São tantas lições que isso acaba sendo o ponto mais falho do filme. Não conseguem focar em uma única mensagem, e isso acaba ficando confuso. A  qualidade de animação carece de roteiro, de foco. Simplesmente porque o roteiro é muito abrangente. Apesar dessa falha, o filme consegue te tirar risos com as piadas bem sacadas e leves, trazendo a parte mais divertida do filme. Outro ponto muito legal, é que o filme é musical.

É uma animação que eu recomendaria apenas para quem tem filhos ou deseja assistir com uma criança. Mas pra quem é adulto, acaba sendo apenas mais um filminho de animação.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment