Arquivos

DinastiaGoTSéries e TV

As 6 maiores batalhas de Game of Thrones | DinastiaGoT

Game of Thrones, desde suas primeiras temporadas, é famosa por grandes Batalhas, sempre com uma produção impecável e muita ação. O episódio A Longa Noite, o terceiro da oitava temporada, não foi diferente. Nele tivemos A Batalha de Winterfell, com certeza a maior produção já feita para série. Inúmeros dias de gravação, efeitos especiais e muitos figurantes foram utilizados para trazer um clima único a esta batalha que foi o desfecho do arco do Rei da Noite.

Mas com tanta produção ela foi a melhor batalha já vista na série? O Dinastia resolveu enumerar os melhores confrontos de Westeros pra ver em que colocação ela ficaria, e aproveitamos pra contar o que de melhor tem cada batalha.

Lembrando que algumas ficaram de fora como a Batalha do Bosque dos Murmúrios, a tomada de Meren, Astapor e batalha entre os Greyjoy, porque queríamos tons épicos, queremos os melhores confrontos e enumeramos o Top 6 Batalhas de Game of Thrones.

6 –  A Batalha do Castelo Negro (S04E09 The Watchers on the Wall)

Finalmente, sob o comando de Mance Rayder, todas as tribos de selvagens que moram Para-Lá-da-Muralha chegam na muralha. Fora isso uma equipe infiltrada pelo lado sul, comandada por Tormund atacava em pontos diferentes. Atravessar para o sul era o objetivo, afinal ninguém queria enfrentar os White Walkers.

Por outro lado, a Patrulha do Norte estava determinada a defender o Reino dos homens e não deixar que ninguém a ultrapasse. A estratégia de Alliser Thorne, o senhor da patrulha temporário é pífia, a ponto de Jon Snow ficar irritado por não seguirem suas ideias. Os desfechos trágicos (saudades Ygritte) o estilo visceral contrastado aos clássicos espadachins da patrulha, ganham ainda mais força com a aparição dos gigantes. As tomadas da muralha e o plano sequência no pátio do Castelo Negro são absurdamente lindos e a batalha marca o fim da quarta temporada da série.

O diretor do episódio, Neil Marshall, consegue mostrar toda a potência dos selvagens e, é claro, do fato de ter dois gigantes e um mamute. Só não venceram porque a obstinação de Jon Snow e os patrulheiros era intensamente superior, além claro da ajudinha de Stannis Baratheon no dia seguinte. Marshall, que já havia dirigido a batalha da Água Negra, foi indicado ao Emmy de melhor diretor por este episódio.

5 – A Batalha de Winterfell (S08E03 The Long night)

Sabe quando menos é mais? Foi essa essa a sensação ao final dessa Batalha, só que ao contrário. A maior produção já vista na série, teve uma hora e 22 minutos de episódio (o maior das oito temporadas do seriado), que envolveu 11 semanas de gravação e a presença de 750 pessoas participando das filmagens. O diretor? Miguel Sapochnik, o mesmo de duas batalhas marcantes da produção, Hardhome e a Batalha dos bastardos. Ele tinha sua disposição dragões, Walkers, exércitos dos mais variados estilos de lutas e mais de US$ 15mi de orçamento para entregar o que seria, na teoria, a maior batalha da série. Talvez o problema foi se perder na sua grandeza.

Não que a batalha tenha sido ruim, ela até cumpriu seu papel narrativo, que era trazer o inverno, ou melhor, o Rei da noite, mas sua fotografia escura, com cortes rápidos não ajudavam nos localizarmos em meio a batalha. Bem, na verdade a um massacre. E isso foi muito anticlimático.  A falta de estratégia, consequentes erros de ataque e decisões equivocadas da defesa de Winterfell facilitou demais a vida do Rei da Noite. Perda prematura dos Dothrakis, os dragões que se perderam pela névoa só foram alguns pontos questionáveis na batalha.

A névoa junto com a escuridão dificultava não só a vida dos dragões, mas de todos os espectadores. Lógico que tivemos cenas lindas e o voo dos dragões sobre as nuvens foi plasticamente lindo, mais isso não ajudava na batalha, era só purpurina na merda. A produção tentou emular um clima de terror, com uma luz mais natural o possível, mas no geral só confundia quem assistia. Compreendo que talvez o foco fosse criar tensão, dar o impressão que podia ser qualquer um morrendo e de fato conseguiu atender isso até certo momento, mas a montagem chegou a irritar grande parte público por usar este recurso narrativo a exaustão.

O jogo só virou a favor quando a batalha entrou em Winterfell e as cenas da Arya foram brilhantes, bem dirigidas e gravadas, só que em uma escala menor. Menos é mais.

O episódio em si foi bom, com cenas incríveis e um final absolutamente inusitado, mas as decisões burras dos personagens aliado a um superestimado Rei da Noite, que não fez nada além de ressuscitar mortos (ok, isso assustou) deixou apenas um sentimento de frustração em grande parte do público. Uns amaram, outros odiaram, mas ainda sim foi um marco.

4 – Batalha da Água Negra (S02E09 Blackwater)

Cerca de 30 dias de gravações noturnas foram suficientes para gravar o que seria a melhor batalha e o episódio mais caro (US$8mi), até então, de Game of Thrones. devo dizer que a demora valeu a pena, já que não é apenas uma das melhores batalhas da série, como também é um dos episódios mais interessantes.

A magnífica explosão do Fogovivo foi um show na tela, mas não foi o único ponto importante. A maneira como Tyrion conduziu o exército de Porto Real, mesmo em menor número, foi estrategicamente perfeita. O que dificultou qualquer chance de vitória foi o número exército dos Baratheon, turbinados por mercenários.

Usar os túneis de fuga para atacar seus  inimigos por trás foi uma jogada de mestre, pois mesmo que quase tenha custado a vida do anão, salva por Podrick, conseguiu retardar o ataque até a chegada de Tywin Lannister, com suas tropas e o reforço do Tyrell.  A batalha só é vencida com um fator externo, exatamente como ocorreu na Batalha dos Bastardos, 4 anos depois.

A guerra que não poupa nada e nem ninguém e a covardia de Joffrey foi exposta ao mesmo tempo que o talento de Tyrion para estratégias. O diretor do do episódio foi o mesmo da Batalha do Castelo Negro, Neil Marshall, que mostrou o seu talento, gravando cenas que nem no roteiro estavam, para deixar a Batalha ainda mais rica em detalhes. O episódio ganhou dois Emmys de melhor edição de Som e melhor mixagem de som e rendeu a indicação de Peter Dinklage a melhor ator coadjuvante.

3 –  A Batalha de Gold Road (S07E04 – THE SPOILS OF THE WAR)

A Batalha de Goldroad (ou Loot Train Attack) foi inesperada, pelo menos pra mim, não esperava algo tão visceral. O enfrentamento entre Dany e Jaime foi interessante demais, já que o Lannister teve uma atitude inesperada, ao atacar o Drogon. Dá pra sentir o desespero de Jaime e Bronn, ao ver o seu exército sucumbir a raiva dos Dothraki, que os atacaram cruelmente, sem chance para defesa. Isso sem contar o poder do dragão, exposto pela primeira vez aos olhos da armada da Rainha Cersei. A estratégia de ataque foi certeira.

Mas o direção do episódio colocou os dois lados da batalha, afinal foi impossível não ter empatia a dor de cada um dos soldados carbonizados e aos gritos de dor dos cavalos.Foi muito Real e verossímil, soldados correndo pegando fogo. Outra coisa interessante foi a angústia de Tyrion, vendo os homens de sua família sendo abatidos tão facilmente. Ver o nosso anão torcer para que seu irmão se salvasse e, ao mesmo tempo, saber que a vitória era necessária para Dany. Quando Broon acertou Drogon deu pra sentir a dor e agonia do dragão com o seu grito.

O edição de som desse episódio é absurda, passando uma tensão como se estivéssemos lá. As câmeras e os longos planos deram a dimensão de como os homens de Jamie foram pegos de surpresa, a edição transmitia essa confusão.

Tecnicamente é excelente e visceral, com uma das melhores fotografias de toda a série, foi dirigido por Matt Shakman, que eu já era fã por séries como Fargo e Mad Men, que se inspirou claramente em Coração Valente. O episódio demorou 23 dias para ser gravado e foi indicado ao Emmy pela Edição de som, Montagem e a Nikolaj Coster-Waldau a indicação de melhor ator Coadjuvante. O diretor de fotografia deste episódio foi Robert McLachlan, que cuidou da fotografia do Casamento Vermelho, Dance of the Dragons e Mother’s Mercy também.

Vale lembrar que este episódio é 15º melhor avaliado no Top TV Episode Rating de todos os tempos no ImdB, com nota de 9,8.

2 – Batalha de Durolar (S05E08 HardHome)

Só uma coisa assustaria Tormund, o Terror dos Gigantes e Jon Snow, senhor comandante da Patrulha do norte, o Rei da Noite. E foi nesta batalha que ambos o conheceram. Eles chegaram em Durolar a fim de convencer os Selvagens remanescentes a se juntarem à Patrulha. Conseguiram uma boa parte deles e quando já deixavam a aldeia, surge um exército de mortos, liderado pelo Rei da Noite e seus capangas que cercam o local. A única saída é o mar (ou lago kkk).

Uma sequência de duelos de tirar o fôlego, com tomadas maravilhosas e uma sensação de urgência totalmente coreografada imprimiu um ritmo alucinante ao episódio. Algumas vezes a câmera tremida atrapalhava o discernimento de quem estava ganhando ou perdendo, mas nada comparada a confusão generalizada da Batalha de Winterfell. Coincidência ou não o diretor Miguel Sapochnik é o mesmo, sendo ele também responsável também pela direção do número 1 da lista.

Esta batalha levou cerca de 1 mês para ser gravada e sem dúvida a cena mais emblemática é quando ao deixar a baía de Durolar, O Rei da Noite encara Jon Snow, que fica incrédulo ao ver os mortos se levantarem após o confronto. Estava estabelecido o real poder do inimigo gelado.

Esse episódio foi indicado a nada mais, nada menos que 7 Emmys, sendo vencedor de quatro e diretamente a batalha responsável por três, melhor Design de produção, Mixagem de som e Edição de Som. O quarto Emmy vencido foi o de melhor ator coadjuvante, Peter Dinklage, mas por sua participação em outro núcleo. A batalha ainda concorreu por melhor fotografia, melhor maquiagem e melhor edição.

Lembrando que graças a essa batalha e ao episódio Mother’s Mercy, também bastante premiado, Game of Thrones ganha pela primeira vez o Emmy de melhor série dramática. Lembrando que este episódio é 3º melhor avaliado no Top TV Episode Rating de todos os tempos no ImdB, com nota de 9,9.

1 – Batalha dos Bastardos (S06E09 Battle of the Bastards)

Talvez essa essa dispense apresentações. A emblemática e sufocante batalha dos Bastardos, foi um marco pra toda a série. Foi até então a maior produção em números.

O Diretor Miguel Sapochnik realmente é um especialista em sequência de confronto e usou 500 figurantes, 65 dublês. Depois das gravações, digitalmente, esses 500 figurantes foram transformados em mais de 8 mil homens de ambos os exércitos, de Jon Snow e Ramsay Bolton. Além disso foram usadas 70 cavalos, essenciais para toda dinâmica da batalha e a equipe de filmagem gravava aproximadamente 13 horas diárias, durante esses 25 dias!

De um lado Jon Snow e a maior catação já vista na história, selvagens, patrulheiros e poucas casas ainda fiéis aos Starks, do outro Ramsay Bolton, que após matar seu pai era o então Lorde de Winterfell. Jon Snow queria seu castelo de volta e o desenrolar do episódio trouxe a batalha mais amedrontadora, envolvente e angustiante de Game of thrones.

O sadismo do bastardo Bolton ao matar o irmão mais novo de Snow fez com que o líder da armada do Norte saísse das estribeiras e atacasse descontroladamente o seu oponente. O embate, que começou com os cavaleiros, teve tomadas maravilhosa,  que deixamos desnorteados. Cavalos trombando, e câmera na mão conduzia a batalha sempre na visão do bastardo de Ned Stark.

Quando os escudeiros de Harald Karstark cercaram os homens de Snow e começaram o ataque encurralando-os foi tão sufocante como se estivéssemos lá. A agonia sentida pelo protagonista só passou quando Os Cavaleiros do Vale, liderados pelo Mindinho, chegam a pedido de Sansa Stark, ajudando-os a vencer a batalha. Encurralar o que sobrou do exército de Ramsay em Winterfell com um gigante, e a posterior morte do bastardo foram gratificantes como cada frame da frenética batalha.

A batalha garantiu ao episódio os Emmys de melhor Roteiro, melhor Direção, garantiu o segundo e último prêmio de melhor série dramática a Game of thrones, além de ser o 2º episódio de uma série mais bem avaliado no ImdB, perdendo apenas para The Winds of Winter, o episódio posterior também de Game of Thrones.

E aí, tem mais alguma batalha que você goste da série? E a batalha contra Cersei, programada para o quinto episódio da oitava temporada, está ansioso? Conta pra gente nos comentários.

Deixe uma Resposta

Neto Sambora
Nerd e Publicitário da cidade do sanduíche. Amo chocolate, hambúrguer, Coca-Cola zero (sim, sou estranho!) e tudo que o Mark Millar escrever. Não me julguem, mas conheci Star Wars com o Ameaça Fantasma e sou fã do Nicholas Cage!