Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

A História de um Casamento (Netflix) | Review

Nós sabíamos que a Netflix começaria a investir pesado em filmes com potencial sucesso de crítica, visando as grandes premiações como o Oscar. O Irlandês é a sua jogada mais “suja” nesse sentido, e mostra que o serviço de streaming vai ser osso duro de roer nessa guerra entre plataformas. Com A História de um Casamento, a Netflix trouxe 2 atores consagrados para protagonizar um drama que tem um ritmo próprio porém intenso, do já conhecido diretor e roteirista Noah Baumbach.

O filme conta a história de um casal de artistas que vivem um momento conturbado no casamento e resolvem se divorciar. O enredo do filme é essa montanha russa de emoções que é um divórcio, seja ele amigável ou não. No meio disso tudo, temos as carreiras dos dois em choque, e um filho, chamado Henry.

Antes de escrever sobre qualquer outra coisa, eu preciso dizer: Adam Driver é um monstro da atuação, e carrega toda a emocionante trama nas costas o filme quase inteiro. É incrível como esse ator cresceu, e não duvidaria numa possível indicação (E até vitória) ao Oscar por esse filme. Parece que seus chiliques como Kylo Ren renderam de aprendizado para o ator… Quem diria?

Scarlett Johanson entrega uma boa atuação, e há 2 cenas incríveis dela, uma sendo um monólogo de quase 6 minutos, enquanto desabafava sobre sua vida com a sua advogada inescrupulosa. Foram 6 minutos ininterruptos, num plano sequência incrível que nos deixa tão sem ar quanto a personagem se sentia naquele momento. Ponto para a atriz, e principalmente para o diretor que consegue fazer milagre em algumas cenas. Infelizmente, parece que a atriz era ofuscada toda vez que Charlie, o personagem de Adam Driver, entrava em cena, não por falta de talento, mas por excesso de carisma e atuação de Adam.

A história de um casamento
Uma brincadeira do diretor durante algumas transições

Há uma cena, que inclusive vi circulando no twitter esses dias, que é uma discussão do casal, e a carga dramática que o Adam Driver consegue entregar nessa cena é absolutamente inacreditável. Mas, o que chama a atenção é o trabalho do diretor. Ele consegue fazer a agoniante dor dos personagens transbordar na tela, quando conforme mais acalorada fica a discussão, mais fechado vai ficando o plano. Chegando num ponto onde temos um close na cara dos protagonistas enquanto eles gritam de dor e sofrimento por aquela situação, bravo!

Com uma direção impecável, e uma atuação incrível, tanto dos protagonistas, quanto dos coadjuvantes, o roteiro é simples, porém redondinho e não estraga o filme. Se você é daqueles que chora fácil vendo dramas, preparem os lenços. A trilha sonora do filme é sóbria, e o diretor acerta quando decide que muitas vezes o silêncio é a melhor escolha. A fotografia também é simples, e funciona bem pro contexto do filme. Porém, o trabalho de câmeras em algumas cenas consegue extrair o melhor dos atores e da cena.

A história de um casamento é um dos melhores filmes que assisti esse ano, não só pela sua execução quase perfeita, mas por ser uma história profunda e tocante sobre a realidade de muitos casais. O filme é como uma canção bela e triste, que consegue tocar o seu coração. Ponto para a Netflix mais uma vez, esse ano a senhora está de parabéns.

Mostrar ComentáriosFechar Comentários

Deixe um comentário