Top 10 | Aparições do Batman no cinema

0
67
views

Se existe um personagem que foi bastante explorado no cinema, nem precisa pensar muito, com certeza é Batman. Seguido de perto pelo Homem-Aranha e na sequência o Superman, o alter-ego de Bruce Wayne, se destaca ainda pela quantidade de atores que deram vida ao personagem, ao todo 7 atores vestiram seu manto.

Mas, nem sempre os diretores, atores e produtores acertaram nas incursões do homem-morcego nos mais diversos filmes. Desde os longas nos quais ele protagoniza até participações em outras produções, houve erros e acertos, e para não ficar em cima do muro decidimos enumerar suas participações da melhor a pior. Lembrando que não estamos julgando o filme por sí só, mas todo o contexto, priorizando a atuação e a participação do Batman nas produções.

10 – Batman e Robin • 1997 • Dir.: Joel Schumacher

Parece uma escolha óbvia, por todos os motivos possíveis, mas não dá pra dizer que a intenção não foi boa, aliás apenas isso que tem de bom no filme. Tentaram emular o clima dos quadrinhos dos anos 60, referenciar o clássico do Adam West, mas fizeram isso da pior forma possível. Com atuações caricatas demais, como o “Tiozão” Mr. Freeze de Arnold Schwarzenegger, a canastrisse do George Clooney , no papel de homem morcego até as vergonhas que passaram  Uma Thurman, Chris O’Donnell e Alicia Silverstone. 

Isso sem mencionar um roteiro sofrível e uma direçao de arte pífia. É um show de horrores e com certeza um capítulo a ser esquecido na carreira do morcegão de Gotham. A produção desastrosa custou ao nosso herói alguns anos na geladeira da Warner. 1 Espadinha

09 – Esquadrão Suicída • 2016 • Dir: David Ayer

Ok, o camêo de Batman perseguindo Coringa e Arlequina até é visualmente interessante, apesar de não fazer o estilo do vigilante desfilar a “luz do dia” ao olhos de todos. Porém minha indignação aqui é com a prisão do Pistoleiro. Em que mundo o alter-ego de Bruce Wayne atacaria um inimigo, acompanhado de sua filha, em beco escuro de Gotham, podendo, caso aconteça alguma fatalidade, ocorrer a morte dele e assim ocasionar um trauma na criança pelo resto de sua vida. Perceberam o quão escrota, ridícula e inconcebível é esta situação? É como se o Batman virasse o próprio Joe Chill e provocasse a mesma ação que o traumatizou (saveee marthaaaa). Não consigo imaginar quem aprovou essa cena na Warner.
1,5 espadinhas.

08 – O Cavaleiro das Trevas Ressurge • 2013 • Dir.: Christopher Nolan

O Batman desse filme é definitivamente a versão mais burra do herói, nem parece ser o um dos seres mais inteligentes do mundo, que usa 90% da capacidade do seu cérebro. Aliás esqueceram que ele é o maior detetive do mundo. TODO MUNDO passa a perna nele. Ele podia estar tranquilamente naquela tirinha da turma da Mônica, “O que está acontecendo?”.

Podem dizer, mas ele já estava aposentado, com o joelho fudido, mas isso até explicaria a quantidade surras que ele toma nesse filme (e não foram poucas), não a falta de racionalidade dele, ao tomar decisões equivocadamente inocentes e ao ser ludibriado por qualquer mendigo na rua. Não vou citar as lutas mal coreografadas, a direção preguiçosa de Nolan (uma rara exceção) e o Bane do Tom Hardy que parecia um anão do Circo de Soleil.  2 Espadinhas.

07 – Batman Forever • 1995 • Dir.: Joel Schumacher

Aqui, foi o começo da derrapada do morcegão, depois de 2 excelentes filmes sob a direção fantasiosa de Tim Burton, o estúdio, pensando no lado financeiro, resolveu popularizar mais o personagem, dando uma roupagem mais infantil e cartunesca, se afastando um pouco do tom sombrio que Burton incorporou a franquia. Entregaram a direção ao promissor Joel Schumacher, recém indicado como melhor diretor, em Cannes, por Um Dia de Fúria, e que tinha Lost Boys, Tudo por Amor e O cliente, em seu currículo.

Comercialmente pareciam ter acertado, mas a produção sofreu muitas críticas, primeiro pela troca de Michael Keaton, que entregou um excelente Batman, por Val Kilmer, que parecia não ter entendido a diferença de tons e o conflito, entre o vigilante e seu alter-ego, Bruce Wayne. O roteiro apesar de esforçado era raso e entregou péssimos diálogos e, mesmo que se esforçassem, Jim Carrey e Tommy Lee Jones, tem mais momento ruins do que bons em seus papéis. 2 espadinhas

06 – Liga da Justiça • 2017 • Dir.: Zack Snyder/Joss Wheldon

O que era pra ser um dos maiores eventos da era dos filmes de super-heróis, se transformou em uma das maiores derrapadas da parceria DC/Warner, lógico muito em razão de decisões equivocadas do próprio estúdio, que privou a o tom do visionário Snygod, o retirando do projeto, mas que também não ofereceu condições adequadas ao excelente Josuel Uéldão, para que pudesse terminar o filme adequadamente. Eu poderia citar cortes, edições, bigodes, roteiro, vilões genenéricos mas o que mais me incomodou foi ver herói que tinha acertadamente (palmas para Snyder) encontrado o tom no filme anterior, virado um tiozão de festas de natal, sem liderança e praticamente sobrando na trama.

Sim, a cena inicial, dirigida por Joss diga-se de passagem, é incrível. Ben Affleck sempre que pode, se impõe, mas a história fraca não da espaço pra mais nada além de piadas de pavê, caras e bocas e ele usando seus Gadgets tecnológicos. Eu sou rico. 2,5 Espadinhas.

05 –  Batman Begins • 2005 • Dir.: Chirstopher Nolan

Depois da vergonhosa versão de Joel, o homem-morcego ficou esquecido na Warner, até que Nolan surgiu com um projeto inovador, trazendo um versão mais realista e menos cartunesca ao personagem. O projeto é incrível e mesmo com algumas derrapadas, reescreveu a história do herói nos cinemas trazendo, pra muitos, a melhor trilogia de um personagem de HQs nas telonas (Capitão América mandou lembranças).

Para o papel do morcegão foi escalado o excelente Christian Bale, apesar de ter uma concepção bem diferente dos quadrinhos, fez um excelente trabalho, principalmente como Bruce Wayne, contracenando com Ras Al Ghum. Tudo bem que o Batman apanha até de cachorro, e é totalmente dependente do Lucius Fox, sem contar que o herói do filme é o Gordon, mas tudo bem, não dá pra negar que é um excelente filme. Os efeitos práticos trouxeram verossimilhança e o roteiro de David S. Goyer, cheio de referencias de Ano Um, de Frank Miller deram um charme especial ao longa. 3,5 espadinhas

04 – Batman o Retorno • 1992 • Dir.: Tim Burton

O segundo filme com Burton na direção é com certeza o mais sombrio, esquisito e diferente, entre todas as produções do homem-morcego. E isso está longe de ser ruim, ele é cheio de sub textos incríveis, com uma Gotham sem esperança e corrupta. As atuações majestosas de Michelle Pfeiffer como Mulher-Gato e Danny DeVito, como Pinguim, são estranhamente incríveis. 

E vejam só, eles novamente rasgaram os quadrinhos e entregaram adaptações totalmente fora da curva, e que, se não se parecem nada com suas versões nas Hqs, são perfeitamente factíveis no mundo criado por Tim Burton  e fundamentado pelo roteiro de Daniel Waters. O filme tem seus defeitos e o apoio exagerado na fantasia de Burton acaba propicio a situações não muito críveis, mas o Batman de Keaton é imponente e mesmo quando está em situações desconfortáveis, toma conta da cena. Direção de Arte é um show a parte. 3,5 espadinhas

03 – Dark Knight • 2008 • Dir.: Christopher Nolan

De todos os filmes aqui, este é com certeza o meu favorito, e certamente um dos 3 melhores de todos os tempos, mas no quesito Batman ele deixa um pouquinho a desejar. A estrela desse filme é o Coringa, Heath Ledger, que rouba a cena e brilha como se fosse o protagonista (e não é?). Novamente o herói do filme é o Gordon, brilhantemente interpretado por Gary Oldman, o roteiro de Jonathan Nolan, coloca sempre Batman como secundário na trama, sempre acertadamente, diga-se de passagem, mas que tira um pouco do heroísmo do protagonista.

Ele parece ser desnecessário para cidade, Gordon é muito mais importante que ele, mas que faz como que qualquer outro vigilante em seu lugar se sairia bem. Bale entrega um Batman obcecado por Rachel, que largaria o bem da cidade por uma mulher. São pequenos defeitos que faz do filme não esta mais a frente na lista, porém que não tiram a versão dentre as melhores já apresentadas. 4 Espadinhas

02 – Batman Vs Superman • 2016 • Dir.: Zack Snyder

Fisicamente, finalmente temos o Batman Perfeito, e mesmo que o filme tenha milhões de defeitos, se excluímos toda a parte chata do Superman, temos uma atuação quase perfeita do Batman, e não estamos julgando os filmes apenas, e sim a participação do morcegão.

Figurino acertado, armadura de Frank Miller perfeita, atuação porradeira de Ben Aflleck, frames quase retirados dos quadrinhos por Zack Snyder, e por fim um Bruce Wayne cansado e amargurado, depois anos lutando contra o crime de Gotham. Que entrega incrível. Nem todos os furos roteiros do filme apagariam a cena de Bruce correndo pelos escombros das ruas de Metrópolis. A cena do homem-morcego escondidos na sombras são assustadoras e esteticamente perfeita. 4,5 Espadinhas

01 – Batman • 1989 • Dir.: Tim Burton

Chegamos ao nosso campeão, a melhor participação de Batman em um filme é sua primeira, sim, Michael Keaton, mesmo calvo, baixinho e pitoresco, conseguiu entregar o melhor dos 2 mundos. Aqui temos a única vez que Batman foi o real herói dos seu filme, e, mesmo que Jack Nicholson tenha entregado um Coringa espetacular, Keaton mostrou que a Inteligência de Wayne, o jeito detetivesco como descobriu e combateu o plano do seu arqui-inimigo estão implícitos no cerne do personagem desde que Bob Kaine e Bill Finger o criaram .

A trilha sonora heróica de Danny Elfman e a Direção fantasiosa de Tim Burton, deram toda a base que Keaton precisava pra mostrar com poucos minutos de filme, que as incertezas de sua escalação iriam por água abaixo e em cada ação só víamos o home-morcego em seu auge. Primoroso, astuto e cartunesca no ponto certo. 4,5 espadinhas. 

E aí, gostaram da lista? Façam a de você compartilhem com a gente. Até a próxima. #GoDinastia

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here