Review | Westworld S02E08 – Kiksuya

2
256
views

Um episódio totalmente alheio a história pesada que vínhamos acompanhando nos últimos domingos, Kiksuya nos trouxe uma história focada no coadjuvante, o índio Akecheta.

Tecnicamente definido como spin-off, aquele episódio que foge da trama principal para contar sobre um personagem, local ou evento passado que possa influenciar o transcorrer da história dos protagonistas. Em sua grande maioria, esses adendos são descartados e sempre vistos como encheção de linguiça. Pois bem, Westworld soube contar a história da Nação Fantasma em um episódio de forma brilhante, desde sua beleza fotográfica, atuação do elenco até o seu roteiro impecável e tocante.

Desde o trailer costumeiramente divulgado ao final do episódio anterior, já sabíamos que veríamos a história do líder da Nação Fantasma, Akecheta, e seu amor Koha, até então desconhecido por nós. O episódio entrega isso e muito mais.

Assim como muito em Westworld, é difícil definir o tempo em que se passam os atos. Mas, para tentar esclarecer da melhor forma possível, vou dividir a história de Akecheta e da Nação Fantasma em cinco momentos.

Pré Nação Fantasma

Aparentemente o programa base de Westworld, aqui Akecheta é pura e simplesmente um índio em sua tribo, buscando a sobrevivência sem o contato com o homem branco. O fato que muda seu modo de ver o mundo, é quando ele encontra a chacina do bordel de Maeve, e lá tem contato com o Labirinto, aquele mesmo que fascina Dolores na primeira temporada.

O símbolo enlouquece Akecheta, que começa a ter fagulhas de consciência do mundo fora dali em sua programação, o que força a equipe do parque a fazer o seu reset.

O Auge da Nação Fantasma

A partir do reset, Akecheta volta sanguinário como destemido líder da Nação Fantasma. Avassaladora e impiedosa por onde passa, é mostrada exatamente como a conhecemos. Os índios matam tudo e todos. Até que Ake durante uma de suas andanças, encontra o Delos nu, delirando embaixo de uma árvore. A partir dali, surge mais uma fagulha em sua programação, se ligando mais uma vez que Westworld não é único.

De volta a aldeia, ele se depara com Koha, o seu grande amor na outra vida. E tudo começa a fazer sentido cada vez mais (o índio não é bobo não). Afim de mostrar a verdade, Akecheta a sequestra e leva em uma viagem para revelar o seu pensamento sobre o mundo.

O Fim da Nação Fantasma

Naquele momento amor infinito do episódio em belíssimas cenas do pôr do sol no deserto, o casal se desfaz de forma brutal. Encontrada muito longe de sua origem pela equipe do Westworld, Koha é levada ao laboratório, abandonando mais uma vez nosso pobre e sofrido Ake.

Incansável em busca de seu amor, ele retorna a aldeia e já encontra Koha de volta. Mas ela não é mais a mesma pessoa, e o amor acabou da forma mais triste possível: apagado da memória da bela índia.

Em um novo momento para Akecheta, ele acaba ficando muito mais próximo dos capangas de Westworld e sofre na mão dos homens brancos. Num momento a beira da morte, ele é salvo por nada mais nada menos, que a filha de Maeve! Sim, a beleza do episódio está que em toda essa história está sendo contado por Akecheta para a garotinha, e somos surpreendidos com essa bela relação de gratidão do índio com a menina.

A Transformação de Akecheta

Sem saber aonde ir mais em busca de Koha, Ake usa de seu último artifício: a morte. Ele acaba por se entregar a morte para ser levado ao laboratório, e assim sabiamente poder espiar de dentro, a última possibilidade de voltar aos braços de sua amada.

Levado ao laboratório como planejado, Akecheta vai até o subsolo aonde diversos anfitriões inativos estão armazenados e lá encontra Koha, numa cena pra lá de dramática e sentimental, que aposto que arrancou lágrimas de alguns que estavam acompanhando essa bela história.

Sem esboçar reações uma vez que está totalmente inativa, Ake utiliza como último recurso levar um pedaço do cabelo de outro parceiro de aldeia para sua mãe, para que assim possa revelar ao seu povo que existe algo fora dali, passando a implantar a ideia de que estão no mundo errado cada vez mais no seu povo.

Pois bem, aí vem a bomba do episódio. Se lembram da fatídica cena da Nação Fantasma cercando a casa de Maeve que protege a sua filha? Akecheta releva que aquilo não era um ataque, mas sim uma tentativa frustada de avisar a mãe e filha, que havia algo além do que estavam vivendo. Havia algo fora da caixa que ele tinha descoberto. Mas, foi tarde demais… e sem conseguir cumprir seu objetivo, William chegou antes dele. PASMEM! A Nação Fantasma não era tão má como nos foi vendido desde o início da série….

A Noite do Encontro

Mesmo já em sã consciência do mundo fora dali, Akecheta é mostrado mais ainda como destaque a partir do seu encontro com Robert Ford. Ford questiona aonde Ake teve contato com o Labirinto, e que aquilo é um erro que tem de ser expurgado.

Robert retira do índio todas as verdades sobre a vontade dele em revelar ao seu povo que não há um mundo apenas, mas sim vários. Quer a frase fodástica do Ford nesse episódio? Aí vai:

“Todo este tempo, você foi uma flor crescendo no escuro. O mínimo que posso fazer, é dar um pouco de luz”.

Mais uma vez Ford utiliza de um anfitrião para dar inicio a rebelião. Desta vez, ele pede que quando a morte chegar para ele, que Akecheta junte o seu povo e os leve a entrada do novo mundo. Outra ponta do plano de Ford que nos é revelada…

Para finalizar com chave de ouro, voltamos a ver Maeve num duro processo de estudo e reabilitação no laboratório, até que vem a revelação. Ela está reprogramando a Nação Fantasma inteira de longe, afim de que possam proteger a sua filha! Quais os limites do poder dessa mulher ?!?

“Leve o meu coração quando partir.”

2 COMENTÁRIOS

  1. Pois é Kdu! Essa temporada sem sombra de dúvidas é da Maeve! Dolores está num arco bem chatinho mas ainda acredito que vá ter um bom final… Concordo com seu selo de #melhordupla. Que o Lee tenha o reconhecimento que merece!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here