Arquivos

Séries e TV

Review | Westworld S02E06 – Phase Space

Westworld passou da metade da temporada, e segue não me decepcionando, muito pelo contrário, surpreende pela ousadia de seus atos. Phase Space, exibido pela HBO no último domingo, 27, foi mais uma prova disso. Digo a vocês que o principal elemento deste episódio foi o piano. Sim, aquele elemento mostrado desde o primeiro episódio da série no cabaré, presente em toda trilha sonora da série… é um elemento fundamental! Porque tudo isso? Vamos ver o que aconteceu nesse episódio…

Primeiro episódio desta temporada que explora todos os núcleos (amém Senhor!). Vamos começar por Maeve, Hector e Armistice em sua jornada pelo Shogun World. É uma pena que o Japão Medieval tenha sido tão pouco significativo para toda a trama, mas confesso que foi muito bacana explorarem toda a parte visual e elenco que este mundo trouxe. Na jornada em busca de sua filha, Maeve encontra a mesma casa em que sofreu a perseguição pelo grupo indígena, e nele uma garota, aparentemente sua filha crescida. Em uma das cenas mais sentimentais do episódio, dialoga com a menina como se fosse sua mãe. A cena termina com a revelação que a menina já tem outra mãe, a narrativa já mudou, e os indígenas seguem a perseguição a mãe e filha. Maeve tem a chance de mudar a história, e leva a menina em proteção consigo.

Enquanto isso, o casal maravilha Dolores e Teddy dão andamento ao plano de intervenção ao trem que leva ao núcleo de Westworld, o Berço.O principal ponto explorado neste núcleo, além do sucesso do plano de Dolores, é a mudança que ela proporcionou a personalidade de Teddy, que está muito mais agressivo e determinado ao cumprimento de seus objetivos.

Em uma breve passada pela jornada do Homem de Preto, é ainda um grande mistério a relação dele com sua filha. O que de fato está acontecendo ali? Seria a filha dele uma anfitriã? É perceptível que há um dedo de Ford em toda essa relação, é não algo simples de pai e filha entre eles. Nada foi muito revelado neste episódio, só mais suspense…

O grande destaque do episódio e um dos maiores da temporada até então, está na jornada de Bernard com Elsie. Em mais um momento de devaneios temporais, Bernard tem lembranças dentro do Berço. Embrenhado em um dos sistemas de simulação (será?) do Berço, Bernard presencia o Westworld em sua fase mais pura. A narrativa original está ali. Ao entrar no cabaré de Maeve, eis que vem a surpresa. O piano está tocando, mas quem está tocando não é Dolores, muito menos Maeve. Senhoras e senhores, Robert Ford é o pianista!

“Hello, old friend”

Palmas,gritos, corações parados e muito mais para esse fim de episódio S E N S A C I O N A L! Lembram-se que comentei no início deste texto que o piano significava muito mais do que parece? Pois é, eu vejo o piano como aquele que dita o rumo da história. Robert Ford como pianista, simboliza que ele ainda é o cara que dá o tom a música, ele que ainda dita as regras de tudo ali dentro. O mundo pode estar pegando fogo lá fora, mas Ford ainda tem controle sobre cada nota que está sendo tocada nessa grande sinfonia que é Westworld! Incrível!!! Vem episódio 7!

1 Comentário

Deixe uma Resposta

Raphael Riveiro
Idealizador do Dinastia Geek, fanático por séries e games, engatinhando no mundo das HQs. Harry Potter, o universo Tolkien, Liga da Justiça e Tim Burton são o melhor do maravilhoso universo nerd/geek!