Arquivos

Séries e TV

Review | Vikings S05E01 e S05E02

 

Ela voltou! Nossa série amada! Neste dia 30 de novembro ela estreou sua quinta temporada. Muito se questionava sobre a sua qualidade, agora, pós Ragnar. Ela manteria o nível e a atenção dos fãs sem o nosso carismático e meio louco líder Viking? O trailer já deixou muitos de nós (eu, inclusive!) com o hype lá no alto, mas ainda assim era um recomeço. E a maior história da expansão nórdica iria começar a ser contada.

Em um episódio duplo de 1 hora e 26 minutos de duração (tirando os comerciais), a série deu um excelente pontapé inicial! Em vez de começar com a briga entre irmãos pela morte de Sigurd ou entre Ivar e Lagertha por Aslaug e Kattlegat, ela separou os focos, como se fossem várias histórias em uma. E isso deu muito certo!

Para começar, entre os filhos de Ragnar, Bjorn já começa deixando os irmãos em busca de novas terras e riquezas no Mediterrâneo. Há uma guerra fria entre Ivar e, principalmente, Ubbe. O “Sem Ossos” parece muito arrependido pelo que fez com Sigurd, e Ubbe não parece nem perto de perdoá-lo. Mas tudo é deixado de lado quando Ivar, que é um excelente estrategista, propõe que invadam a cidade de York, para terem uma fortaleza à beira de um rio e próximo ao oceano.


As cenas da invasão de York são bem pesadas e retratam muito bem a violência dos vikings. Podemos ver o quão frio e cruel é Ivar quando ele mata de maneira sádica o bispo de York, enfiando ouro derretido em sua boa e arrastando seu corpo com um cavalo. Cenas para quem tem estômago forte…


Falando em Bispo, começamos a conhecer o bispo Heahmund. Foi uma boa introdução de personagem, pois percebemos o quanto ele é confuso entre sua fé e o seu desejo de violência e sexo. Com certeza ele baterá de frente com Ivar, no futuro, e vamos ver muito sobre ele ainda! Nós, fãs de Jonathan Rhys Meyers desde The Tudors agradecemos. A parte mais importante de seu núcleo no episódio foi ele descobrir que o Rei Ecbert enganou os nórdicos sobre as terras e que Aethelwulf era o novo rei.


Já Aethelwulf e Judith continuavam refugiados e Alfred muito doente (Pausa para ressaltar que o filho mais velho deles é apenas um figurante na série). Enquanto os dois conversam sobre o filho de Athelstan estar morrendo, ele sai da casa e caminha pelo rio, achando estar vendo o falecido padre até que desmaia e quase se afoga. Ao voltar a si conta aos pais que os nórdicos estão em York e que eles precisam ajudar o seu povo. What?????


No núcleo de Kattlegat, o Rei Harald chega pianinho, cheio de boas notícias, tentando agradar a (deusa) rainha Lagertha (que provavelmente tem algum acordo com Freya para não envelhecer e continuar maravilhosa). Mas nossa diva saca qual é a dele, já que o comparsa dele já tinha dado com a língua nos dentes, lá no fim da quarta temporada, e o prende para ter mais informações.


No “interrogatório” ele diz que tentou tomar Kattlegat porque estava apaixonado, mas que agora não estava mais porque a rainha tinha o enganado e se casado com um príncipe dinamarquês. Disse que queria formar uma aliança com Lagertha e casar-se com ela. Aí nossa diva puxa uma faca, pergunta a ele quem ele pensa que é, monta nele e deixa o bichinho frustrado… Mas considerando que todo mundo que transa com ela morre, podemos dizer que ele teve sorte e que só está meio morto.


Mas, não ter matado Harald pode ter sido um erro para nossa deusa. Ele foge e leva Astrid com ele, já se fazendo de Bachelor, e propondo casamento para a amante de Lagertha também. Bem, Michael Hirst já nos mandou esperar uma batalha incrível nesse núcleo, então, estamos aguardando!
E o que falar do nosso amado Floki? Arrasado pela morte da sua (e nossa) querida Helga, ele decidiu partir sozinho, deixando o oceano leva-lo. Jogou fora todos os instrumentos de navegação e apenas seguiu o destino. E nos levou até uma das paisagens mais lindas que já vimos na série. Encantando e achando estar vendo a água de uma cachoeira seguir o curso contrário, Floki achou estar em Asgard, morada dos Deuses, mas na verdade é a Islândia.


A título de curiosidade, esta locação é a mesma usada na sétima temporada de Game of Thrones. Só de olhar já dá para saber por quê, né?


Enfim, foi um excelente começo e confesso que não senti falta do nosso querido Ragnar nem por um momento. Que continue assim, pois é, sem dúvida, uma das melhores séries da atualidade.

Deixe uma Resposta

Marcelle Suazquita
Dcnauta que adora a Marvel. Aluna imaginária da Corvinal que sonha em ser uma Elfa e casar com Clark Kent. Responsável - e irresponsável - por dar pitacos em séries, filmes e literatura. Bernard Cornwell é meu lorde e senhor.