Review | The Walking Dead – S08E12 – The Key

0
164
views

Eu sei que vocês notaram que não escrevi sobre o S08E11, mas perdoem, eu não queria ficar falando sobre o Padre Gabriel e Dr. Carlson o texto todo, porque se tem uma característica que me irrita em The Walking Dead é a sua capacidade de focar alguns episódios em personagens merdas. Mesmo que o episódio não tenha sido por si só um desastre, foi chato e me dei esse direito. Nada moveu pra frente, a não ser a ideia, recorrente das HQs, de sujar as armas brancas com sangue zumbi pra forçar a transformação dos moradores de Hilltop em morto-vivos.

E é aí justamente que começa o The Key, S08E12, mostrando a galera do Santuário se preparando pra executar esse plano do Negan. Se o plot das HQs for mantido, teremos um grande plot twist e talvez o ápice da temporada nos próximos episódios.

Do outro lado temos o Rick chegando em Hilltop, em um momento comovente onde todos parecem questionar o que realmente é certo fazer. Afinal, a morte de Carl foi em vão? Enid mesmo definiu: “Carl morreu ajudando a uma pessoa, eu sobrevivi matando outra”. Será que sobreviver significa exterminar quem pensa diferente? Ter outra posição o faz inimigo? Parece até que estou falando de política no facebook, não é mesmo? Mas voltemos para o universo dos zumbis e pensemos juntos com nossos personagens: “Qual é a atitude certa a tomar?

Digo isso porque neste episódio tivemos muitos confrontos, seja físico como Negan e Rick,  psicológico como Dwight e Simon ou ético, como o que envolveu Meg, Michonne, Enid e nossa nova e misteriosa personagem Georgie. E foram estes confrontos que estabeleceram uma narrativa empolgante e trouxe o que foi até então o melhor episódio da temporada, que nesta segunda metade está em visível ascendência.

Vamos começar falando dos gerentes do santuário, pois parece que Simon está finalmente mostrando a que veio, e no que parece, vai tentar tomar o poder e se tornar o líder dos salvadores. Diferente de Negan, ele não acredita em “salvação”, ele é sádico e não quer mandar recados, quer o extermínio de seus inimigos.  Ele não faz o menor rodeio ao tentar aliciar Dwight para sua “causa”. Ele sabe o quanto o dono de Lucille aterrorizou a vida do comparsa e tenta usar dessas ações de Negan para persuadir o agente duplo.

Até então usando um discurso “pacifista”, junto a vontade de Dwight de buscar paz entre as comunidade, Simon o convence a deixar Negan pra trás. Mas quando o Golpe acontece, percebemos (e Dwight também) que as intenções eram outras e o que o salvador quer mesmo é exterminar as comunidades enclausuradas em Hilltop, usando como motivação os “ideais” do desaparecido líder.

E a Falta de mira de Rick, hein? por mais que sejam cômicas e divertidas as tentativas de matar Negan, o nosso Xerife parece um Stormtrooper, literalmente. Pra que gastar toda munição atirando no carro? (kkk) O embate entre os dois foi incrível, que roteiro bem feito, que atuação majestosa, que entrega dos dois atores. Foi o ponto alto do episódio.

Negan não cansa de propor acordos para o Rick, como se ele fosse cair nessa ladainha depois de tudo que aconteceu. A imponência em que o Xerife encurralou o líder do santuário, e a forma que o chocou, quando falou que Simon assassinou o povo lixão a sangue frio, só deixou a cena ainda mais tensa. A hora que caíram na porrada, foi a realização de um sonho molhado de todos os walkers.

A fotografia ambientou de forma extraordinária o embate com cortes fechados e dinâmicos, com pouca iluminação. Aquele ambiente fechado deu uma sensação de desespero, parecia a boa e velha TWD da quinta temporada.

Lógico que sabíamos que a luta não acabaria ali, senão a temporada chegaria ao fim, mas sua fuga pela janela, complementada com o resgate feito por Jadis, deu uma reviravolta inesperada para a trama. O que será que a lixosa da carne moída está planejando? Será que vai torturar o Negan ou se unir a ele? Só saberemos nos próximos episódios.

Por último deixei pra falar sobre nova trama que surgiu em Hilltop, com surgimento de uma nova comunidade. Seria a figura estranha, que ofereceu comida a troco de livros, uma referência ao Arco da Nova Ordem Mundial, das HQs? A grosso modo, e pra não dar spoilers, é uma comunidade muito grande (cerca de 50 mil habitantes) de Ohio e que pode trazer elementos nunca vistos na série televisiva. Seria alí uma explicação do helicóptero que circulou pelo céu de Alexandria?

Apesar da questão do acordo ter sido fundamental pra entender o estado emocional das meninas de Hilltop, de como elas estão sobrevivendo, e se a humanidade dentro delas também sobrevive, acredito que esse plot só será explorado futuramente. Foi uma sementinha que já estamos acostumados a ver, e que pode render muitos frutos futuramente.

Ha muito tempo não ficava nervoso e intrigado com um episódio e até mesmo ansioso pelo próximo como aconteceu em The Key. Finalmente o show está tomando um bom rumo e parece que os produtores entenderam que precisam dar o que o público quer. E que venha mais!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here