Arquivos

Séries e TV

Review | Legends of Tomorrow | Os viajantes do tempo

So please don’t call us heroes, we’re something else. We’re legends.

O que acontece se juntarmos os personagens de The Flash, Arrow e Supergirl e os mesmos viajarem pelas linhas temporais? Tenha certeza que você assistirá muitas histórias, em diversas épocas. Legends of Tomorrow é sem dúvidas a série de super-heróis mais diferente da CW e só por isso já valeria dar uma chance a ela.

Se você ainda não conhece ou apenas ouviu falar, vamos colocar alguns pontos que a tornam tão diferenciada, relembrar alguns pontos da segunda temporada e o que podemos aguardar para terceira.

A série começou quando Rip Hunter (Arthur Darvill), recruta um time para combater Vandal Savage (Casper Crump). Se você for levar em consideração neste primeiro momento, não podemos vê-los como um time de heróis, já que todos tiveram desencadeamentos diferentes em suas séries originais. Vale lembrar o início de cada episódio a frase “não nos chame de heróis, somos outra coisa, somos lendas” quase soa como uma piada e faz com que a série tenha uma proposta diferente em relação as outras, que compartilham o mesmo Universo,

Se a primeira temporada foi um teste com muitos erros e acertos, a segunda mostrou como as histórias podem ser dinâmicas, levando em consideração o universo construído pela CW, a tornando uma das melhores séries do canal. Bom, vamos falar da segunda temporada, caso ainda não tenha assistido pare por aqui, já que teremos spoilers a partir de agora.

Esta temporada foi marcada pela entrada de muitos personagens, tivemos Nate Heywood (Nick Zano) falando com Oliver Queen (Stephen Amell) para conseguir  localizar o time de lendas no tempo.

Foi bem pensado a forma engraçada que Nate foi introduzido a trama, ligando o antigo time com o novo. Nate tem uma boa parceria na série com o Ray Palmer/Atomo (Brandon Routh), bem como um romance bem conturbado com Vixen (Maisie Richardson-Sellers). Falando em Vixen, ela participou em Arrow e encaixou muito bem como Amaya, antes de fazer parte do elenco regular

Baixas da segunda temporada: os falcões (Kendra Saunders e Carter Hall) e o Capitão Frio/ Leonard Snart (Wentworth Miller) por conta do final da primeira temporada. Capitão Frio também fez participação em um episódio da terceira temporada de Flash e participou de alguns episódios da segunda temporada de Legends no arco da Legião do Mal. Por conta da saída de Leonard, Mick Rory/ Onda Térmica (Dominic Purcell) teve sua história diferente da primeira temporada, mostrando como ele se encaixa nesta nova configuração das lendas e não trabalhando mais como dupla.

Quem mudou também foi Rip Hunter, que se ausentou do comando da Waverider , fazendo com que Sara Lance/Canário Branco (Caity Lotz) assuma o papel de capitã do time. Além de uma boa participação em Arrow, Caity vem crescendo também, mesmo com a volta de Rip na segunda metade da temporada, ela ficou em destaque.

Quem também permaneceu nesta segunda temporada foi a dupla Nuclear, formada por Jefferson Jackson (Franz Drameh) e o professor Martin Stein (Victor Joseph Garber),  que tiveram altos e baixos. Durante a elaboração deste review, saiu a notícia de que Victor Joseph Garber deixará o elenco regular. Segundo o site Deadline, o ator voltará a trabalhar na Broadway, participando do revival de Hello Dolly!, Fica a dúvida de como será o desfecho de Jax/Jeffeson e se haverão possíveis participações especiais.

Apenas recapitulando: na primeira temporada o enredo era Rip Hunter recrutando um time para lutar contra Vandal Savage e evitar a morte de sua família, na segunda temporada foi um pouco difícil identificar o que seria o plot, já que começou com a Sociedade de Justiça na Segunda Guerra Mundial (da época que Amaya veio).

Não bastava um, tivemos três vilões nesta temporada, todos bem conhecidos do público de Arrow e Flash. São eles: Eobard Thawne/Flash Reverso (Matt Letscher), Damien Darhk (Neal McDonough) e Malcolm Merlyn (John Barrowman). Como não tiveram sucesso em suas respectivas sagas, decidiram ir atrás da lança do destino, um artefato bíblico imensamente poderoso capaz de alterar a realidade.

Depois que a Legião do Mal rescreveu a realidade, Eobard Thawne destruiu-a usando um reator térmico para incinerá-la. Quando as lendas voltam a tempo de parar a Legião de usar a lança, foi finalmente desativada por Sara Lance e depois apagada da existência junto com Eobard Thawne, que estava segurando a lança quando Flash Negro finalmente o matou (ele o perseguia ao longo do tempo). Tinha tudo para ser bem melhor pensando em três vilões, mas foi ok.

Um motivo que faz você ver esta série com certeza é o humor, que fica bem descolado se comparado com as outras séries da DC.Houve, inclusive, um episódio baseado na história de um certo jovem chamado George Lucas, será que você conhece essa referência?

A série melhorou muito por conta da entrada de novos personagens que tiveram uma boa química, somada ao humor bem encaixado. Espero que o enredo da terceira temporada, que começou no último dia 10 (ainda não assisti o primeiro episódio mas em breve sai análise), seja melhor na narrativa em relação aos vilões e a aproveitamento na trama. Ah, não podemos esquecer que teremos novas eras visitadas, como por exemplo a  pré-história.

Quer outro motivo para ver a terceira temporada? Segundo o Hollywood Reporter, Matt Ryan interpretará novamente John Constantine em uma participação em Legends, assim como fez na quarta temporada de Arrow.

Legends of Tomorrow retornou para sua terceira temporada em 10 de outubro nos Estados Unidos pelo canal CW, no Brasil a série é exibida pelo canal pago Warner Channel, com estreia em dia 23 de outubro às 22h30.

Gostou da segunda temporada de nossas lendas? O que você aguarda para a nova temporada? Conte para nós nos comentários!

Deixe uma Resposta

Roberto Nascimento
Beto, paulista, sempre em busca de bons shows, viagens, livros, cultura pop em geral (não necessariamente nesta ordem). Fã de Star Wars, DC, Marvel entre outras coisas mais. Amante do universo da fotografia, sempre registrando por onde passo.