Original? O porquê da Trilogia Batman de Nolan ser HQ pura

0
596
views

Esse vai ser meu texto mais sombrio e realista (aham sei!!), porém sem câmera lenta (cof! cof!). Brincadeiras a parte, das muitas adaptações de Batman para o Cinema com certeza a que mais chama a atenção do público e da crítica é a trilogia dirigida por Christopher Nolan. Com uma visão autoral e peculiar, ele tentou emular um Homem-Morcego mais humano e mais próximo da realidade, e apesar do pouco aproveitar do visual das HQs em seus filmes, muitas das ideias utilizadas nas películas foram inspiradas nos quadrinhos, especialmente no roteiro.

Para ajudar, entra um nome, que apesar de polêmico, é uma autoridade no quesito adaptação de quadrinhos para o cinema: David S. Goyer. Algumas vezes erra, outras acerta, mas seu talento é inquestionável e contribuiu com uma pesquisa rica e cheia de referências . Seja como roteirista, argumentista, produtor ou diretor, o cara possui em seu currículo filmes como: Nick Fury – Agente da Shield, Motoqueiro Fantasma 1 e 2, a Quadrilogia Blade, Man of Steel, Batman VS Superman, Constantine (TV) e seu mais recente projeto, A tropa dos Lanternas  Verdes, entre outros projetos. Na trilogia de Nolan foi co-roteirista de Batman Begins e criador da história dos dois filmes seguintes, apesar de não ter sido creditado como roteirista.

Vale lembrar que apesar das referências, a história dos filmes é única, possibilitando mais liberdade na adaptação de arcos e personagens. Apesar de sacrificar alguns pontos, tornou a história leve e independente. Bem, vamos lá. Vou tentar recomendar as HQs filme a filme, para que fique mais fácil e organizado.

BATMAN BEGINS

Cada filme basicamente teve como base uma história do Homem-Morcego, pegando, porém elementos de outras tramas. No caso do primeiro filme, a HQ base não poderia ser outra: “BATMAN: ANO UM” (Frank Miller). Após a saga  “Crises nas Infinitas Terras”, a DC deu um reboot em seu universo e foi dado a Frank Miller a tarefa de escrever a origem do Cavaleiros das Trevas. Desta HQ, que conta a história do primeiro ano de atuação de Batman, saiu o conceito de uma Gotham City nas mãos de gangsters, e uma polícia corrupta a mando de Falcone. Entre as principais referências, vale citar a cena em que Bruce Wayne chega de avião após uma longa viagem, sua relação com Gordon, ainda no começo da carreira, e o passado militar de Alfred, que lhe dera noção de medicina. Vemos também a evolução do nosso herói, transformando o próprio medo (morcegos) em arma, a fuga da SWAT, com morcegos atraídos pelo sinal emitido de sua bota, e a cena final, onde nos é apresentada a origem do bat-sinal, e a carta do vilão, o Coringa, acontecimentos presentes em ANO UM.

Outra HQ que também inspirou Begins foi “O HOMEM QUE CAI” (Denny O’Neal). Daí foi tirada a parte em que o Bruce cai no poço e enfrenta os morcegos, e também a viagem ao Tibet, e o treinamento por Henry Ducardi, no filme o personagem foi transformado em Ra´s Al Ghul. Já a celebre frase de Thomas Wayne: “Por que caímos? Para aprendermos a nos levantar”, também saiu da HQ. Em relação aos treinamentos, mental com o uso de drogas, muito se extraiu das HQs “UM CONTO DE BATMAN – TAO” (Alan Grant), e ainda “UM CONTO DE BATMAN – SHAMAN” (Denny O’Neal), na questão espiritual. Vale ainda mencionar o relacionamento com Ra´s Al Ghul, proveniente de “CONTOS DO DEMÔNIO” (Neil Adans).

O arco do Espantalho, a cena emblemática no cavalo e o gás do medo podem ser vistos na história “O LONGO DIA DAS BRUXAS” (Jeph Loeb), publicação que também inspirou o interrogatório em Flass, sob a chuva. Vale mencionar, que tanto o bat-tanque, quanto a clássica cena do colar de pérolas de Martha Wayne foram baseados na HQ “O CAVALEIRO DAS TREVAS” (Frank Miller), enquanto o assassino dos pais de Bruce e a Rachel foram explorados em “BATMAN ANO 2” (Mike Barr).

CAVALEIRO DAS TREVAS

Assim como o primeiro filme, a sequência também teve uma HQ como base principal do enredo. A escolhida foi “O LONGO DIA DAS BRUXAS” (Jeph Loeb). A publicação inspirou cenas clássicas como encontro entre Batman, Harvey Dent e Gordon no telhado, com direito a reprodução da fala do comissário quando o Homem-Morcego sai em silêncio: “Ele sempre faz isso”.  Temos ainda a pilha de dinheiro queimado, nas HQs incendiadas por Harvey e Batman, e Gordon fingindo-se de morto, por não confiar na polícia (nos quadrinhos foi o Harvey), o atentado com explosão, o julgamento dos capangas do Falcone, e a motivação do Harvey (sua esposa). Aliás, o plano do Coringa em transformar o cavaleiro branco de Gothan em bandido, e mostrar que todo mundo pode ter um dia ruim foi concebido originalmente na HQ “A PIADA MORTAL” (Allan More), porém, lá o alvo original era o Gordon. Da mesma HQ vem muito da inspiração do Coringa de Heath Ledger, com seu jeito psicótico e sem limites, além da brincadeira de ter várias origens diferentes. O interrogatório do palhaço do crime é muito parecido com o que há no começo da publicação. Na primeira aparição de Coringa nas histórias do Batman, o plano também era uma série de assaltos apenas pelo prazer de roubar.

Tanto a trama de Lucius Fox, quanto do jornalista que tenta chantageá-lo para vender a identidade secreta do Batman foram inspiradas nas edições da “SUPERAMIGOS”, que saíram no Brasil pela Abril. Enquanto o filho do Gordon caindo do prédio, foi retirado de ANO UM. Na revista, porém,  o Batman não consegue resgatá-lo. Temos também vários trechos retirados de BATMAN O CAVALEIRO DAS TREVAS.

O CAVALEIRO DAS TREVAS RESSURGE

No derradeiro filme, a HQ base é a barbada do século. Afinal, que outra publicação tem em sua capa o Bane quebrando a coluna do Batman? Sim, “A QUEDA DO MORCEGO” (Doug Moench) foi a base para o filme. O fato de Bane liberar todos os vilões de Gothan, acontecimento também explorado na série “TERRA DE NINGUÉM” (saga com diversos autores), onde vemos Gothan sitiada, a ponto da cidade ser abandonada pelo governo nas mãos dos bandidos. A volta da aposentadoria do Homem-Morcego vem de O CAVALEIRO DAS TREVAS, que inspirou ainda a barba deixada por Bruce (na HQ era só um bigode). Podemos ver a fidelidade da adaptação na cena entre dois policiais comentando sobre a volta de Batman, literalmente extraída da HQ. Porém, a maior motivação de Bane, Thalia, filha de de Ra´s Al GhuL, teve inspiração no Arco FILHO DO DEMONIO (Mike Barr). onde Thalia teve um envolvimento amoroso com Bruce.

UFA! Sei que foi difícil chegar até aqui, mas uma trilogia tão rica em detalhes e bem elaborada como esta não seria tão bem abordada se não citasse pelo menos as principais referências. Lógico que há outras HQs que não foram citadas, mas se você lembrou, deixe um comentário e me diz o que eu esqueci, ou deixei passar batido! Abraços e até a próxima.

Artigo anteriorO Jardim de Bronze, mais uma série HBO
Próximo artigoResenha | Gaian – O reinício
Nerd e Publicitário da cidade do sanduíche. Amo chocolate, hambúrguer, Coca-Cola zero (sim, sou estranho!) e tudo que o Mark Millar escrever. Não me julguem, mas conheci Star Wars com o Ameaça Fantasma e sou fã do Nicholas Cage!
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here