Arquivos

Cultura PopGames

A Lenda de Zelda | Um amor além do tempo

“The Legend of Zelda é o melhor jogo de todos os tempos.”

Quantas vezes você já ouviu essa expressão no mundo dos games? É incrível como uma franquia que foi criada em 1986 consiga permanecer tão viva e se renovar a cada lançamento. Qual será o segredo que mantém Link e sua princesa tão vistosos aos olhos dos jogadores desde seu primeiro jogo?

Bem, eu acredito em diversas possibilidades. Primeiro porquê os jogos nunca são lançados às pressas, cada um tem um trabalho de arte e de desenvolvimento feito ao seu tempo e só é lançado quando está 100% pronto. Coisa que deveria ser padrão mas não vemos isso acontecendo hoje em dia. Tem a questão da fidelidade visual e sonora do jogo. Desde o primeiro jogo nós jogamos com o mesmo protagonista, salvando a mesma princesa, utilizando os mesmos poderes e derrotando os mesmos inimigos. Isso pode soar genérico, mas cada versão lançada transforma o jogo em uma obra de arte única. A história de Link e Zelda é contada por meio de fabulas e contos de fadas, cada jogo tem seu modo único de contar sua história e por mais que você conheça os personagens, é como se cada jogo contasse a mesma história só que em um folclore diferente. Cada jogo com seu modo único de narrativa e o jogador sempre pode escolher como vai fazer as suas quests.

Se você jogar o primeiro Legend of Zelda de 1986, e depois jogar o Link To The Past do Super Nintendo ou mesmo migrar pro Breath of The Wild, seu lançamento mais recente, notará que é o mesmo jogo. Em 86 você precisa juntar os 8 pedaços da Triforce pra derrotar Ganon e salvar a princesa Zelda, você é jogado num mundo aberto onde você pode simplesmente fazer as Dungeons diretamente ou se jogar no mapa e explorar tudo o que ver pela frente atrás de recompensas. É basicamente a pré definição de Breath of The Wild, sacou? As Dungeons cheias de puzzles, os item mágicos como Power Bracelete, Bumerangue, bombas, velas pra tacar fogo e iluminar salas, Hearth Containers, arco e flechas etc. Tudo isso foi implementado lá em 86 no Nintendinho e só foi aperfeiçoado com o passar dos anos.

Tem a curiosidade de que Legend of Zelda foi o primeiro jogo a ter save direto no cartucho, devido ao seu lançamento original ter sido em Disquetes no Japão. Quando foi convertido pro ocidente precisavam de uma solução pra salvar o jogo e pensaram em colocar uma memória adicional no cartucho em conjunto com uma bateria, pra manter o jogo salvo.

The Legend of Zelda é um marco na indústria dos games, e sem ele, boa parte dos jogos de ação, aventura e RPG que conhecemos hoje não existiriam. Não contente em inventar a roda uma vez com o jogo de 86, Shigeru Miyamoto traz uma revolução aos jogos eletrônicos com Legend of Zelda: Ocarina of Time. Ocarina of Time é considerado o jogo mais influente de todos os tempos, ganhou inúmeros prêmios de melhor jogo de todos e tem status de que dificilmente será ultrapassado. Foi o primeiro Sandbox 3D, o primeiro jogo de ação a usar um botão de trava nos inimigos, é um jogo que mistura seus elementos audiovisuais de maneira perfeita, equilibrando a sonoplastia com a identidade visual do jogo e suas possibilidades.

É inexplicável a sensação de começar um jogo como Legend of Zelda e se sentir apaixonado por cada detalhe apresentado. Você quer resolver seus mistérios, por mais difíceis que eles sejam, você quer mergulhar nesse mundo fantasioso de aventura e não quer sair antes de completar a sua missão. Legend of Zelda é um marco na história dos videogames e um marco na vida dos jogadores que tiveram a oportunidade de jogar uma obra prima como essa.

Deixe uma Resposta

Bruno Sena
Carioca, fã do Superman e de quadrinhos em geral, além de jogar mais games do que deveria. Xbox live Gamertag: BrSena14