CCXP 2017: Foi épico?

0
459
views

É isso aí, pessoal, acabou! Depois dos quatro dias de folia do que seria o nosso Carnaval Nerd, já é quarta-feira de cinzas, ou melhor, segunda, e voltamos à vida real. O cosplay voltou para o armário e deu lugar a essas roupas sem graça. Agora nos prendemos às fotos, às memórias dos bons momentos e perrengues com amigos. Então, cabe a análise: Esta CCXP foi épica?

Todos que me conhecem sabem que eu amo a CCXP e que espero o ano inteiro por ela. Sou defensora fiel, mas não a ponto de não conseguir enxergar as falhas que espero que sejam corrigidas em breve. Esta foi uma edição conturbada, com muitos cancelamentos. A ausência de Nikolaj, Natalia Tena e Rebecca Madden frustrou os fãs (Eu inclusive, viu, Nikolaj?). Além disso o mau tempo nos Estados Unidos impediu que Tom Hardy aparecesse de surpresa e foi o motivo do atraso de Danai Gurira. Sabemos que nada disso é culpa da produção, então, apesar de ter tirado um pouco do brilho da festa, não vou levar em consideração nessa análise. Vamos falar sobre o que concerne à produção da CCXP.

Transporte

Esse foi um ponto que caiu demais! Poucos ônibus disponíveis, diferente do ano passado. Em 2016, utilizei o serviço em dois dias e foi excelente. Não creio ter esperado mais do que 15 minutos! Este ano, na sexta feira, na saída do evento, precisei voltar de metrô e havia uma espera de 2 horas a 2 horas e meia. Em um percurso que levamos 15, 20 minutos andando. E foi exatamente o que eu e muitas pessoas fizemos. Mesmo cansados, seguimos a pé até a estação. Para mim, o maior ponto negativo do evento.

Sobre o estacionamento, tudo fluiu extremamente bem. Funcionários ágeis, direcionavam o tráfego de veículos rapidamente. Em nenhum dia eu levei mais do que 10 minutos para encontrar uma vaga, mesmo no sábado, com o evento superlotado. Os pontos negativos são os salgados R$ 45,00 de diária e a dificuldade na saída, mas considerando que todos acabam saindo no mesmo horário, não achei tão ruim.

Entrega de Credenciais


A retirada das credenciais ter começado antes ajudou muito! Vi muito poucos casos também de pessoas que tiveram problemas no envio pelo correio ou empresa de entrega.  Dessa vez acertaram! Em todos os dias havia agilidade no atendimento, staff preparado e bem informado, em lugar separado aos das filas de entrada. Ponto positivíssimo, demonstrando que aprenderam com os erros do ano passado, quando as pessoas chegaram a ficar 4 horas na fila de quinta-feira por causa da bagunça com as credenciais.

Entrada no evento

Apesar de ter iniciado com uma pequena confusão na Spoiler Night, pois nesse dia não havia separação para o Epic e Full, em todos os dias a entrada fluiu extremamente bem. Havia entrada separada para auditório, feira e outra entrada para Full e Epic Experience. Logo que chegávamos, o staff já nos orientava para onde iríamos. O auditório entrava primeiro e já ficava sentado esperando os painéis. Depois liberavam as filas da feira para baias nas laterais da São Paulo Expo, em frente às entradas 3, 4 e 5. Apenas as pessoas de Epic e Full Experience ficavam nas primeiras baias que eram liberadas uma hora antes do evento começar, como prometido.
Por causa desta organização, não importa que hora chegávamos, a entrada fluía muito melhor do que nos anos anteriores. Ponto positivo para o evento!

Mas, como nem tudo são flores, também na entrada houve o ponto negativíssimo e bem injusto. Digamos que nosso CEO Raphael tenha chegado às 7:30 da manhã e meu amigo, e colaborador desse blog, Roberto chegou às 9h. Ambos foram encaminhados para as baias, assim que o auditório encheu. Raphael foi para as baias do portão 3 e o Roberto para as do portão 4. Na hora da abertura dos portões, todas as baias foram abertas ao mesmo tempo. Ou seja, quem chegou as 7 e quem chegou as 9 entrou na mesma hora. No caso, o Roberto entrou antes e quase gerou uma demissão por justa causa em nosso blog (HAHAHA). Me pergunto: Qual a dificuldade de abrir uma baia por vez, respeitando a ordem de chegada? Isso até ajudaria a não ter aglomeração na hora de validar a entrada com a credencial. CCXP, precisa rever isso! Não queremos a demissão de ninguém por aqui!

Staff

Ponto positivíssimo para o evento neste quesito! Todos muito bem informados, a maioria muito simpático e prestativo. Em alguns stands, como o da Warner, que estava uma grande bagunça, eles se complicavam com a organização da fila devido ao número enorme de pessoas, mas estavam sempre solícitos. O Staff da CCXP, então, foi muito bom, com raras exceções, como em qualquer empresa. Exemplo: um amigo perdeu a credencial na feira e foi levado por uma funcionária até o setor onde foi emitida uma nova credencial para ele, cancelando a anterior. Isso foi feito em coisa de 10, 15 minutos, contando com todo o trajeto. Muito eficiente!

Convidados


Esse ponto desapontou um pouco, não por culpa da CCXP. Os cancelamentos foram um balde de água fria, mas o pior foi criar uma expectativa que não se cumpriu. Eu sei que a propaganda é a alma do negócio e precisam vender ingressos, mas o exagero na empolgação dos realizadores antes dos anúncios mais frustram do que fazem bem. Quem tem consciência da dificuldade não espera que eles tragam Mark Hamill ou Ben Affleck, mas ainda assim é frustrante quando fazem uma tempestade em um copo d’água.

Ponto negativo: Danai em momento Avril Lavigne e deixando muita gente brava com cancelamentos de sessão de fotos.

Ponto positivo: Will Smith indo para a galera, no meio da feira, deixando todo mundo louco. Dean-Charles Chapman esbanjando simpatia no stand da HBO, tirando fotos no trono de ferro com um monte de gente.

Quanto aos quadrinistas convidados, depois de um ano passado com Frank Miller e Brian Azzarello, estávamos muito mal acostumados. Mas não tem jeito e tenho que falar que esse ano foi inferior em relação à 2016. Apesar de, como tietinha do Lobo, fiquei igual idiota em frente a Simon Bisley.

Triagem e Camarim Cosplay

Parabéns! Parabéns! E parabéns! Depois da baguuuuuuunça do ano passado que obrigou todo mundo a pegar três filas para a triagem cosplay e atrapalhando demais, esse ano a triagem foi impecável! Fui até a triagem na quinta e no sábado e, em ambos os dias, não havia qualquer fila! Muitos funcionários bem preparados e ágeis. Extremamente simpáticos que me deixaram até com vontade de ficar por lá, batendo papo! Por favor, repitam isso ano que vem! A única falha foi não haver sinalização de onde era a triagem cosplay do lado de fora do pavilhão laranja. Pelo menos eu não vi.

O Camarim estava lindooooooo!! Muitos espelhos, tudo arrumadinho e organizado. Gostei demais! Os funcionários então muito solícitos! Precisei de alfinetes e cola quente por uns detalhes no meu cosplay e eles resolveram tudo para mim em 1 minuto. Apenas os armários que, no sábado, não deram conta e havia uma bela fila na entrada. Mas creio que, devido ao número imenso de pessoas, isso é inevitável.

Cosplayers

Quanto cosplay maravilhoso, minha gente! Até agora estou chocada com a beleza de uma La Muerte! Tanta gente criativa! Muitas Mulheres-Maravilhas, Coringas, Deadpools… Eles são a grande atração da CCXP e para onde corremos quando cansamos das filas. Como admiradora da arte eu amo tirar fotos com eles! Como cosplayer é um prazer receber esse pedido. Só tenho uma dica para aqueles que estão lendo esse artigo: Reparem no momento que estão pedindo a foto. As vezes precisamos comer, ir no banheiro, beber água, ou estamos no meio da parada cosplay e, em maioria, odiamos ter que negar uma foto a alguém.

Aproveitando, quero pedir para a organização do evento (Vai que o Ivan, que é gente boníssima está lendo…) para que os cosplayers tenham algum incentivo. Por exemplo, entrar uma hora mais cedo para nos arrumarmos e não perdermos tempo de feira seria excelente!

Praça de alimentação

É feira, logo, a comida é, em sua maioria, ruim e cara. Infelizmente. Pedi um micro milk shake do Bob’s. Paguei 12,00 reais e veio parecendo que alguém já tinha bebido. Gostei muito da Piadina e do lanche do Nômade.

Havia bastante mesas em várias praças separadas. Achei que isso ajudou bastante! Vi muita gente reclamando achando que eram poucas, mas, gente, se nem em shopping a gente consegue mesa fácil, imagina na CCXP! Quer ajudar? Terminou de comer? Levante e dê lugar para os coleguinhas!!!

Feira

Os corredores estavam bem mais espaçosos que no ano passado. Até mesmo no sábado, que geralmente é insuportável trafegar, havia fluxo. Não sei se havia realmente menos stands, mas dava essa impressão. Senti falta daquelas lojinhas menores que ficavam próximas da arena Twitch, da AXN e do ScyFy. Algum de vocês sentiu falta de mais algum?

O tapete estava um problema!! Acho que não estava bem preso, porque eu, desastrada de carteirinha, quase caí várias vezes. Ele estava frequentemente rasgado ou solto, procurando pezinhos distraídos como o meu.

Stands


Fila a gente sabe que tem sempre, então, não vou entrar nesse mérito. Alguns estavam muito bonitos e muito interessantes! O 360 de Game of Thrones da HBO era sensacional!! O da Warner, apesar de muito mal organizado, havia muitas atrações legais! Queria ter feito o vôo da Supergirl mas não consegui, assim como pegar a desgraça da sacola, que espero conseguir finalmente em 2018! O stand da Netflix era um dos pontos altos, como sempre! Muitas atividades e pequenos prêmios, como pins, pôsteres e, se você fosse bom, coisa que não sou, um Okja para chamar de seu! E teve torta na cara!!!!!!

O stand da Toddy com foi o mais legal para mim. Para que ir a uma luderia se você pode ter uma dentro da CCXP?? Sem contar que foi divertido ver o Azhagal derrubar o Jovem Nerd ali! A Fini fazia você pegar suas balas como se fosse uma daquelas máquinas de pegar ursinhos em parques de diversão, se tivesse disposição de ficar algumas horinhas na fila… Eu preferi jogar a bolinha no stand da Gudetama e ganhar a balinha mais sensacional da face da terra.

O stand da Disney me frustrou um pouco. Muito lugar para tirar foto e zero atividades. O Stand da loja do Harry Potter estava lindo, mas a loja ruim. Pouca coisa (novamente) e tão cara que estava mais fácil ir comprar em Hogwards. Enfim, havia muita coisa a fazer! Impossível fazer tudo devido às filas, mas tentamos!

Talvez o que tenha prejudicado e deixado as filas tão grandes foi a interatividade das atrações que exigiam preparação (necessária). Foi muito legal ver o pessoal voando para tudo quanto é lado, mas isso demora pra caramba!

E nota 10 para o stand da Itubaína por ter matado minha sede nesses quatro dias e 100 para o Nescafé do lado da loja do Harry Potter garantindo, com café gratuito, que ninguém ia dormir nas filas!

Artist Alley

Desculpe a caixa alta, mas: O MAIOR E MELHOR DO MUNDO! Que coisa linda, minha gente! Espaçoso, longe das atrações musicais, e com muito muito talento. O melhor lugar da CCXP disparado! O único problema foi colocar as vezes dois quadrinistas de peso em mesas próximas, o que geravam filas bem bagunçadas. Mas por mim, podem aumentar a AA e dar mais espaço ainda para eles! Me deixaram mais pobre por lá, mas nem liguei! Mais uma vez: Coisa linda!

Cosmusic

Boa aquisição para a CCXP! Tiraram o palco do lado da Artist Alley, que nos permitiu conversar com os artistas (e isso foi maravilhoso!), e colocaram em uma das praças de alimentação, onde era o antigo auditório Cinemark. Boas atrações por lá! Curti o cover de Michael Jackson e me diverti com o Supla. Foi bem legal, mas podia ser até melhor, com mais atrações! Por mim pode continuar lá!

Epic Experience

Este foi o primeiro ano desse tipo de credencial e vou falar pelos relatos de amigos: Não valeu a pena. Muitos problemas fizeram com que a experiência não fosse exatamente épica. Para começar, a Spoiler Night, sua maior vantagem não foi tão exclusiva quanto diziam. Muitas lojas, empresas e afins distribuíram inúmeros convites, então, no fim, havia muita gente no dia que era apenas para Epic e Full Experience.
Além disso o outro atrativo era o acesso ao pavilhão uma hora antes de todos. Isso seria excelente se os stands estivessem todos abertos, coisa que não aconteceu. Só valeu a pena para quem queria comprar os exclusivos da Iron Studios e pegar senha para fotos com Mauricio de Souza e Will Smith. Para oferecer esse tipo de proposta novamente, a organização precisa melhorar muito!

Enfim, a minha conclusão é que, apesar de tudo, a CCXP é sempre épica. Mesmo com as falhas, não há lugar no mundo que eu goste mais de estar do que lá. Os amigos que ganhei através deles, até mesmo esse espaço nesse blog, não há dinheiro que pague. Poder brincar com cosplay, achar o Ivar quando sou Lagertha, sentir a energia maravilhosa de 220 mil pessoas felizes. Não, não há lugar igual à CCXP no Brasil. Não somos San Diego e Henry Cavill não vem, mas 6 de dezembro de 2018 eu estarei lá novamente. Se Odin permitir.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here