Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Especial Dia dos Namorados | Canções de Amor do Cinema

Se me perguntassem o que não pode faltar no dia dos namorados, além de amor, é óbvio, diria uma boa canção de amor. Afinal aquele clima, pra envolver a morena ou boy, seja lá qual for a programação precisa de uma boa trilha. Pois é, e não só na vida real funciona assim, na sétima arte um dos recursos mais utilizados para se contar uma boa história de amor é a música. Uma trilha instrumental bem feita sempre ajuda, mas hoje vamos falar das canções originais.

Criadas exclusivamente pensando no casal ou no momento que relacionado a eles, o cinema sempre nos premiou com lindas canções. Música essas que, maioria das vezes, quebraram a quarta parede e embalaram incontáveis casais na vida real. Hoje, para inspirar os casais geeks, escolhemos uma lista com 10 músicas românticas que marcaram o cinema. 

Pra começar quente essa lista – Carlos Alberto de Nóbrega aprovou essa piada – nada melhor que uma das melhores e maiores trilhas de todos os tempos. Nas vozes de Bill Medley e Jennifer Warnes,(I’ve Had) The Time Of My Life não só levou Oscar de melhor canção original como também faturou o Globo de ouro e o Grammy de melhor duo pop. 

Só isso já bastaria pra mostrar sua importância, mas não. Tema de Frances “Baby” Houseman (Jennifer Grey), uma jovem que se apaixona pelo instrutor de dança Johnny Castle (Patrick Swayze), a música não só embala o ápice do filme como marcou tonda uma geração. Essa canção embalou o final dos anos 80 e qualquer casal de namorados apaixonado que surgia na época escutava essa canção incansavelmente no toca fitas do carro, em meio a um amasso ou outro. Ahh anos 80.

Se é pra falar de canção premiada então vamos falar de uma das minhas favoritas da lista. Outra música que ganhou o Hat-trick da música, Oscar+Globo de Ouro+Grammy, Can You Feel the Love Tonight foi eternizada na voz de Elton John, que também a compôs, para a maior animação da história da Disney, O Rei Leão. 

O filme, que é até hoje o filme desenhado a mão com a maior bilheteria da história, foi aclamado por público e crítica e, ao lado do roteiro, a música era o ponto alto de todos os elogios. 

A Canção, trilha de Simba e Nala, emociona com o ritmo cadenciado que cresce e enche até os olhos mais insensíveis com lágrimas. Dá pra realmente sentir o amor ao escutar essa música. É escutar e lembrar da morena. (suspiros)

Quem não shipou esse casal no Oscar de 2019? Eu sei que errado foi isso, afinal Bradley Cooper era muito bem casado na época, mas o jeito que ele olhava a nossa diva, Lady Gaga, amolecia até o mais duro dos corações. Essa música é o elo entre os personagens dos dois cantores no filme. 

Jackson Maine (Bradley Cooper), um cantor famoso alcoólatra e viciado em drogas, que se apaixona por Ally (Lady Gaga), uma garçonete e cantora. Foi amor a primeira vista, ou melhor, a primeira ouvida, já que seu coração bate mais forte ao ver ela performar La Vie en rose. Já no primeiro encontro eles compõem essa música.

A canção também foi mega premiada, sendo que além do mesmo Hat-trick dos dois filmes anteriores, levou outro Grammy, o de melhor música para obra audiovisual, ficou semanas no topo da Billboard e trouxe Gaga de volta ao topo, pela 4 vez. Foi a música mais cantada por casais de namorados em karaokê de 2018, com certeza.

Não foi só essa canção que marcou o filme. I’ll Never Love Again, melhor canção que Shallow, na minha opinião, era tão boa que foi premiada no Grammy de 2019 também. As duas merecem seu lugar nessa lista. Juntas e Shallow Now.

Terror de todo músico de casamento do final dos anos 90, My Heart Will Go On foi a entrada de noivas mais tocada por quase 10 anos, fez a marcha nupcial parecer uma boa novidade quando voltou a ser tocada.

Na voz de Celine Dion, a música só entrou aos 45 do segundo tempo na trilha, sendo executada no créditos do filme. Ela é uma variação da Trilha sonora incidental, composta por James Horner, que queria muito uma letra na música e pediu, escondido de James Cameron, o diretor do filme, para seu amigo Will Jennings compor. 

Por incrível que pareça Celine Dion não queria gravar, não achava força na música mas foi convencida pelo marido. Acho que foi uma boa escolha, afinal, Oscar, Globo de Ouro e mais 4, isso mesmo, 4 Grammy, incluindo a de canção do ano.

Não foi só esse prêmio que ela ganhou, ela foi tão executada mundo afora, ficando no topo das rádios, fora os já mencionados casamentos, que a Rolling Stone elegeu-a como quarta música mais irritante da história. Pelo bem ou pelo mal, ela embalou muitos dias dos namorados. Bem a verdade que Jack (Leonardo di Caprio) até cabia no pedaço de madeira, mas preferiu o fim a escutar a música. Pobre Rose.

Um ano depois de My heart will go on, eis que surge um novo chiclete sonoro,I Don’t Want to Miss a Thing, brilhantemente executada pela banda americana AeroSmith, a canção definitivamente tinha mais força que o casal que ela embalava.  A.J. (Ben Affleck) e Grace (Liv Tyler) tinham tanta química quanto o meteoro que precisam explodir.

A música não é ruim, muito pelo contrário é muito boa, mas a falta de empatia do casal, que parecia estar na trama apenas pra dar um peso dramático em um motivo pra Michael explodir alguma coisa, em meio a um monte cortes rápidos. Fica difícil, né? 

Ela concorreu ao Oscar e ao Globo de ouro mas perdeu ambas as premiações pra When You Believe, dueto de Mariah Carey e Whitney Houston, que ninguém lembra, a menos que você seja “Disney Fanático”. Se bem que nem a Carol que é maior fã da Disney lembrou dessa na hora de fazer as sugestões pra lista, então não tem defesa. 

Hit dos adolescentes da época, a música ganhou o único prêmio que importava para geração que se apaixonou por essa música: MTV Movie Awards. A rainha do Disk MTV, tocava ao fundo dos namoros por telefone. Sim, as pessoas namoravam por telefone nos anos 90.

Essa é das antigas também, um clássico dos programas de flash back, embalou os famosos bailinhos daquele ano. Tema do Dia dos Namorados dos anos 80, foi Berlin gravou a música e não esperava o sucesso que procedeu ao filme. Ganhou Globo de Ouro e Oscar como melhor canção original e se tornou um dos temas famosos do Cinema. A linha de baixo é inconfundível.

Vale lembrar o sucesso comercial, além da canção ser top 1 da billboard, o álbum foi  a trilha mais vendida daquele ano e umas trilhas sonoras mais vendidas de todos os tempos, com mais de 30 milhões de cópias. Imagina o tanto de Disco que riscou nessa faixa.

Essa aqui disputou todas premiações possíveis mas só conquistou os corações dos adolescentes que viveram os anos 2000. E, acredite, ter uma música que falasse de amor divertida e otimista no meio da explosão do emocore era uma puta conquista. O sucesso de Counting Crows dominou as rádios e não teve quem não saiu do cinema cantarolando a canção.

Essa era música que falava do amor real, possível, com erros e acertos do nosso ogro favorito com sua princesa fora dos padrões. Por esta tão fora dos padrões, quando surgiu nas rádios, a música grudou como chiclete numa época que se popularizou as famosas baladas teens. Era o Hit das pistas e constantemente finalizada com beijos apaixonados com o amor da última semana. Era feliz e não sabia?

O que Unchained Melody, I Will Always Love You e She têm em comum? Ambas foram marcantes pelos filmes que falarei a seguir, mas todas são covers, o que as impediram de ser denominadas canções originais. Mas é impossível citar trilhas apaixonadas para o Dia dos Namorados sem citá-las.

A primeira, Unchained Melody, gravada por Righteous Brothers para o filme Ghost (1990), ficou conhecida por acompanhar Sam Wheat (Patrick Swayze), que se recusa a deixar o plano dos vivos e se afastar de seu amor, Molly Jensen (Demi Moore). É triste, né? Mas a trilha marcou e estava sempre entre as mais pedidas para entradas dos noivos. Chupa Titanic. A cena do vaso de Barro foi eternamente parodiada no cinema.

 I Will Always Love You é sinônimo de Guarda-costas, é sinônimo de Whitney Houston, e também rainha de casamentos. Uma das maiores performances vocais, criou uma fórmula exaustivamente repetida por várias divas, por anos. Ouviu lady gaga?

She é aquela canção gostosa, que foi regravada pro Elvis Costello para o filme Um lugar chamado Notting Hill, um filme referência para as comédias românticas que entupiram as prateleiras de DVDs dos anos 2000, pena que não na mesma qualidade.

Outra que não pode ser esquecida é My Girl, que tem talvez a linha de baixo mais famosa do cinema. Por incrível que pareça a música, tema do filme homônimo, foi gravada 25 anos antes pelo grupo The Temptations e foi tema do relacionamento puro, o primeiro amor.

Enfim, eu poderia falar de muitas outras músicas, originais, ou que simplesmente entraram na trilha sonora de algum filme, ou de vários filmes. Melhor do que isso, fizemos uma seleção com todos os membros do dinastia e criamos uma playlist no Spotify e Deezer (confira aqui) para vocês embalarem o dia dos namorados com uma trilha sonora diversa e apaixonada. Bons filmes e acompanhe todos os textos do nosso especial de dia dos namorados.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment