Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Cidade Invisível (Netflix) | Primeiras Impressões

Quando foi anunciado pela Netflix uma nova produção nacional roteirizada por Raphael Draccon e Carol Munhoz, eu já tinha em mente que viria coisa boa por aí. Após descobrir que a obra era criada por Carlos Saldanha, e tinha grandes nomes no elenco como Marco Pigossi e Alessandra Negrini, aí eu tinha mais certeza ainda que Cidade Invisível teria um bom caminho pela frente.

Fomos contemplados pela Netflix com acesso antecipado aos 4 primeiros episódios da nova série nacional que chega dia 05/02 ao streaming. Na trama, somos apresentados ao policial ambiental Eric (Marco Pigossi), que perde de forma drástica a sua esposa, também ambientalista, abalando os seus dias. No mesmo momento que isso acontece, situações bizarras começam a surgir ao seu redor, tendo como ápice a aparição de um boto cor de rosa na areia da praia.

Alisson Louback/Netflix

Enquanto tenta descobrir o que aconteceu para provocar o acidente que acabou com a vida de sua mulher, aos poucos vamos identificando algumas aparições estranhas no dia-a-dia de Eric. Um moleque de rua chamado Isac (Wesley Guimarães) passa a persegui-lo após ele encontrar o boto cor de rosa, uma cantora chamada Camila (Jessica Cores) lhe provoca encanto no primeiro olhar e Inês (Alessandra Negrini), dona de um botequim no distrito da Lapa, se mostra cada vez mais uma mulher um tanto quanto misteriosa.

Pelas descrições que fiz acima, creio que você deva imaginar que estamos lidando com criaturas folclóricas no dia de hoje, não é mesmo? Pois bem, acho que a melhor forma de definir Cidade Invisível pelos primeiros 4 episódios que vi, é a humanização do folclore brasileiro, trazendo as lendas para tão perto de nós que podem até se misturar com estigmas sociais um tanto quanto enraizados para nós.

ALISSON LOUBACK / NETFLIX © 2020

Rodeada de mistérios e tensão conforme acompanhamos o protagonista Eric em suas descobertas e investigações, Cidade Invisível tem tudo para ser mais uma obra de sucesso na produção nacional, tal como foi O Escolhido também roteirizada pelo casal Raphael e Carol. As atuações de todo elenco atendem as expectativas de seus personagens e superam na capacidade de adaptar situações que para nós só os livros de contos narravam, mas agora estamos praticamente vendo um live-action das lendas que líamos na escola.

A trama consegue mesclar o misticismo do folclore brasileiro, que infelizmente é tão pouco explorado no entretenimento, com a importância da conscientização ecológica de nossa população, se colocando a questionar se lendas como o Curupira ou a Iara, estavam tão erradas assim quando eram taxadas como agressivas ao ser humano.

Ainda é cedo para dizer se terá uma nova temporada, por conta de ainda não ter certeza de como será a conclusão da trama nos 4 episódios finais. Mas o que posso adiantar é que fiquei extremamente satisfeito de saber que uma trama conseguiu explorar tão bem o nosso rico folclore, que precisa de mais espaço em filmes, séries, livros, etc. Que Cidade Invisível seja o ponto de partida para algo grandioso, pois tanto a produção nacional quanto esse nicho de nossa cultura, precisam desse rico espaço que obtiveram agora através da grandiosa Netflix, orquestrada por grandes nomes da literatura e do entretenimento brasileiro.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment

Secured By miniOrange